COMPARTILHAR
Pocket Poker - Luana Alves
Pocket Poker - Luana Alves

Meu tempo e espaço em relação à velocidade de São Paulo são outros; é difícil “viajar” dentro da própria cidade. Minhas amigas moram na Mooca, não abro mão de, quando estou lá, participar da comunidade que abriga a escolinha do Julian, de três anos, filho da minha amiga Tauana. Caminhar na Rua da Mooca é me sentir em casa, pois estou sempre com a Tau e a Gabi.

No BSOP Millions, elas tiveram o primeiro contato com o mundo do poker através de mim e me acompanharam na última etapa Ladies Bodog 2019, no H2 Club. Foi minha primeira vez visitando o Clube e consegui observar, presenciar, viver e sentir a rede de apoio que existia entre tantas mulheres presentes. Nessa noite, a Luana Alves foi homenageada, quando percebi o carinho e amor que envolvia a todas nós naquele instante. Era isso; a “Lu”, como todas nós a chamamos, é uma das profissionais do universo do poker que mantém a história acontecendo.

VEJA MAIS: Acho que iniciamos uma revolução passada, pois tínhamos saudade do futuro

Chegamos ao H2 Club, em Pinheiros, por volta das 19 horas, o late registration já estava no fim; consegui, logo ao entrar, já sentar na mesa de mulheres incríveis. Eu estava na oitava maior cidade do mundo para o maior evento Ladies de todos os tempos, no H2 Club. Engana-se quem pensa que só jogadoras e jogadores merecem destaque no poker. Luana Alves construiu sua carreira, sempre pautada pelo profissionalismo, tanto na Gerência de Marketing do H2 Club, quanto nas ações de engajamento feminino no poker.

Essa semana, o Pocket Poker conversou com Luana Alves. A publicitária nos contou que está há oito anos no mercado e que uma das causas do sucesso de sua carreira sempre foi o apoio ao cenário feminino. A “Lu”, como é carinhosamente chamada por todas as players do circuito, conheceu o poker há 12 anos, jogando com amigos, e logo o Home Game tomou grandes proporções em sua vida “em 2009, começamos a nos dedicar inteiramente à organização de eventos, mas eu ainda encontrava espaço entre os eventos pra jogar, inclusive fui vice-campeã do circuito ABC, disputei com grandes nomes do Poker Nacional, como Norson Saho, Felipe Mojave, Fernando Grow, etc.”

Hoje, ela diz que está vivenciando a melhor fase da carreira como Executiva Coordenadora de Marketing, gerenciando a maior unidade do Grupo H2 BR, o H2 São Paulo, localizado na Henrique Schaumann, em Pinheiros. “Estamos em uma unidade recém-inaugurada com 3.000 metros quadrados, 90 torneios de poker ao mês, sem mencionar as mesas de cash game, programa de relacionamento, gastronomia, eventos externos”, nos conta.

Luana Alves ainda destaca a difusão do poker “posso fundamentar, por exemplo, com o fato de compormos uma grade escolar, ‘Fundamentos do Poker’ desde 2013 sendo uma disciplina sobre Negócios, na Unicamp. A estreia do curso atingiu a capacidade máxima. Além disso, o poker tem tido cada vez mais espaço na mídia e tem atraído constantemente celebridades, grandes marcas e publicidade”, destaca.

VEJA MAIS: Mulheres negras e a representatividade no poker brasileiro

Prevendo o sucesso do poker para este ano, ela dispara “ somos gigantes nesse esporte, temos 6 campeões da WSOP e em tantos outros grandes eventos internacionais, e recordes online. Somos reconhecidos pelo International Mind Sports, sem mencionar o aumento, de forma expressiva, do número de jogadores; ultrapassamos 10 milhões de acordo com a CBTH”, relata.

Realizando etapas femininas no cenário do poker brasileiro, ela assume que o circuito Ladies é a melhor forma de atrair novas jogadoras “hoje somos um grupo e tanto, todos os torneios Ladies do H2 possuem Garantido e Ranking, tivemos a parceria com a Bodog, que em 2019 patrocinou todos os eventos e mais 20 mil reais, que foram distribuídos entre as 15 melhores jogadoras. O apoio tem sido cada vez mais efetivo e grandes marcas querem estar presentes nas edições dos torneios femininos de poker”.

Ela organizou, no dia 07 de março, um dia antes do Dia Internacional da Mulher, o maior evento Ladies já realizado no H2 Club, em São Paulo; eu ainda consegui o feito de chegar CL na FT e cair em 4º lugar. Tau e Gabi estavam comigo novamente e, depois dessa noite, aprenderam jogar poker apostando pipoca doce, jogando em casa no outro dia; elas estarão presentes nos próximos eventos, tudo isso graças às redes de apoio, que são mantidas por mulheres como a Lu Alves. Que possamos comemorar mais um recorde de field pós-Covid-19. Até semana que vem. Cuidem-se todxs!

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.