COMPARTILHAR
Brunno Botteon - BSOP Winter Millions
Brunno Botteon.

O capixaba Brunno Botteon figura entre os destaques do poker online mundial. Com ele, a bandeira do Brasil aparece frequentemente nas cabeças de torneios importantes dos feltros virtuais, como foi no Evento #67 (US$ 500 Limit Hold’em) da WSOP Online.

No torneio da série do GGPoker, Botteon ficou em segundo lugar, chegando muito perto de conquistar o bracelete. Ele foi derrotado no heads-up por Gregor Muller, e levou US$ 41.855. De acordo com o site PocketFives, o jogaddor tem mais de US$ 3,2 milhões em premiações online.

VEJA MAIS: João Simão conquista o título do WSOP Side Event BIG 500

Em entrevista ao SuperPoker, Botteon falou mais sobre a campanha que culminou no vice-campeonato mundial, e respondeu a questões sobre sua experiência com a modalidade. Foi o primeiro resultado notável do capixaba em um evento de Limit Hold’em.

Na conversa, o craque também contou sobre a sua ótima fase, e como encara o destaque entre os melhores dos feltros virtuais. Ele expressou muita gratidão pelo momento vivido, e agradeceu pelo carinho que recebe. Confira a entrevista na íntegra:

Bruno Botteon - BSOP Brasília
Bruno Botteon.

Brunno, apesar de não ter sido o maior resultado monetário, foi o principal da carreira?
Eu acho que ele pode ser considerado o principal ou um dos principais, pelo fato de ser a bolha de um bracelete, que é o sonho máximo de qualquer jogador de poker. Então, acredito que sim. É esquisito porque é uma modalidade que eu não estudo, né? Então é uma sensação meio esquisita.

Qual o sentimento dessa impressionante sequência que você vem tendo no poker?
Cara, eu tenho um sentimento de gratidão muito grande, porque eu sempre sonhei viver momentos como esse. Sempre sonhei viver de poker, trabalhar com isso, e ser muito competente em um esporte. Ter pessoas que falam que se inspiram em mim é muito gratificante.

VEJA MAIS: Stephen Chidwick avança no Dia 1E do Main Event da WSOP Online

Como é iniciar um dia achando que ia folgar e terminar como vice-campeão mundial?
Cara, é muito esquisito, eu não tenho outra palavra para descrever. Eu ia folgar, acabei jogando, vi esse evento na grade. Resolvi jogar porque eu não vou ser um completo “donkey” jogando um torneio desse, mas também não vou ser muito bom. Por ser WSOP, ter muito recreativo e não ser um torneio tão caro… Porque tem uns torneios de $1.500, $2.000, $5.000, $10.000 na WSOP em Vegas, esse era um de $500, que era um dos mais baratos. Aí resolvi arriscar e acabou que deu bom, porque segundo lugar é um ótimo resultado, mas é uma sensação bem esquisita.

Você falou que não teve muito contato com torneio de Limit Hold’em, qual é a principal diferença para o NL?
A principal diferença é que não dá para blefar muito. Você não tem fold equity pré-flop dando 3-bet. É basicamente isso, você não consegue efetuar muitos blefes. Geralmente o preço que você tem para pagar é muito bom em relação ao pote, então essa é a diferença.

Pretende aprender mais modalidades em futuro próximo?
Eu pretendo aprender, sim. Me aprofundar um pouco mais, mas não tanto. Hold’em é a modalidade que mais me atrai e que mais atrai o público em geral, onde tem mais dinheiro, então eu não quero ficar gastando muito tempo com as outras modalidades.

VEJA MAIS: Luiz Duarte conquista terceira vaga seguida em satélites para o Main Event da WSOP Online

Estava no seu planejamento ir para Las Vegas em 2020? Se sim, torneio de Limit Hold’em estaria no cronograma?
Eu não sei se eu iria para Las Vegas em 2020 porque eu ainda não tenho visto. Eu ia tentar tirar meu visto antes da WSOP para justamente poder ir. Não sei se eu ia conseguir, então é difícil responder, mas eu ia tentar. Sobre o torneio de Limit Hold’em, se fosse barato e não tivesse mais nada para jogar, eu jogaria, sim.

No início do heads-up, seu adversário alegou problemas com a conexão e você disse que aguardaria pelo seu retorno. Qual o seu pensamento sobre esse fair play no poker?
Eu nunca pensei sobre minha percepção a respeito disso, nunca conversei sobre isso com ninguém. Mas o que eu penso é que eu faço pela outra pessoa o que eu gostaria que fizessem comigo. Às vezes pode estar acontecendo algo grave na vida da outra pessoa, qualquer coisa que se pode imaginar, enfim… Aí você está acabando uma partida sem dar chance de clicar no botão e jogar, eu acho isso bem bizarro.

E eu acho muito legal a competitividade do jogo, você ganhar suando, ainda mais valendo bracelete. Não que eu não faria isso em algum outro torneio que não estivesse valendo bracelete, até porque o side event da WSOP Online que eu ganhei, um jogador se desconectou. Foi a primeira vez que aconteceu isso comigo em um heads-up, e eu esperei algumas boas mãos, umas dez mãos, algo do tipo, fiquei foldando. Não vou deixar de fazer isso nunca.

VEJA MAIS: Wiktor Malinowski paga 4bet com 72s e acerta broca para levar pote de US$ 500 mil; assista

Você é um jogador que não está jogando para nenhum time, mas mesmo assim está jogando um average de buy-in bem elevado. O que você acha dessa opção de vender cotas no GGPoker?
Eu acho uma ótima opção. Acho que é uma praticidade que nunca aconteceu antes, né? Antes, a galera sempre anunciava em WhatsApp, em qualquer grupo, anunciava nas redes sociais… E hoje você tem a praticidade de colocar lá o seu nick e quem quiser comprar, compra. Às vezes tem até gente que não te conhece e compra, acredita no seu potencial, acho bem legal. Eu tenho feito isso para alguns poucos torneios, e acho bem válido.

Tento colocar algo mais realista em relação à margem, um ROI mais realista, para que seja bom para todo mundo, como se eu fizesse para algum amigo meu, mesmo. Acho que é interessante, o GGPoker está de parabéns e vem com tudo para brigar nesse ramo do poker online.

Brunno Botteon - BSOP Brasília
Brunno Botteon – BSOP Brasília

No bate-papo após o título, você falou sobre a aposta do Negreanu com diversos jogadores. Você cogitou desafiar o canadense?
Eu não pensei nisso porque eu não jogo Mixed Games, então seria difícil fazer uma aposta só para Hold’em, seria exigir demais, então nem pensei. Se fosse só para Hold’em, eu faria, seria bem divertido, não seria algo negativo para mim. Acho que eu só teria a ganhar com isso. Mas não faz muito sentido eu não jogar os eventos de Omaha e pegar esse bet para todos os eventos. Ele teria uma vantagem porque ele iria jogar todos os torneios de Omaha e eu não, ele vai jogar todos os torneios de Mixed Games e eu não vou. Só joguei o Limit Hold’em porque é Hold’em, eu só sei jogar melhor o Hold’em mesmo. Omaha eu jogo um pouco mas não me arrisco pagando buy-ins caros.

VEJA MAIS: Ali Imsirovic puxa maior pote da história do No Limit Hold’em online; confira

Você usou diversas vezes o SnapCam do GGPoker. Como que você vê essas novidades que o site vem inserindo off poker?
Eu acho sensacional, eu gosto muito de jogar me divertindo e conversando, ou algo do tipo. Eu tenho muito prazer pelo jogo teórico, porém eu também tenho muito prazer pela graça do jogo. Como as cartas vão batendo, às vezes alguém dá bad beat em alguém, enfim… Gosto muito da aleatoriedade do jogo, gosto de demonstrar as minhas emoções e ver as reações dos outros também.

Eu vejo essas novidades como algo bem interessante, só que eu me preocupo em como eles pegam quem usa a ferramenta de forma indevida, mostra algo proibido. Deve ser uma trabalheira danada, não sei como está sendo… Mas enfim, enquanto estiver rolando isso, eu vou fazer meus videozinhos legais e vou me divertir.

Você revelou que estava assistindo alguns momentos da mesa final. Como é ter uma grande decisão sendo transmitida?
É legal ter uma transmissão, eu poder ver as cartas reveladas, ler os comentários e ver gente torcendo por mim. Isso me deixa bem contente, algumas pessoas pararem para torcer para você, é uma sensação muito boa.

VEJA MAIS: Dante Goya ganha o US$ 1.000 High Rollers PLO Main Event do GGPoker

Em uma entrevista no início do ano, você disse que não liga para ranking, mas segue sendo um dos principais do mundo. Quando você decidiu sair do time, imaginaria um sucesso tão grande?
Realmente, eu não ligo muito para questão de ranking. É algo que eu acho interessante, saudável para o poker, mas tem como você não estar em rankings e ser muito bom, um dos melhores. Tem muito cara que eu admiro que não está em rankings, e com certeza merecia estar lá. Mas não vou entrar nesse mérito de merecimento, porque o poker é bem louco, cada um tem o seu momento. Estou muito feliz de estar lá agora, mas não ligaria se não estivesse.

Eu não imaginaria um sucesso tão grande. Isso não é algo que eu fico esperando, eu tento não ter expectativa nenhuma, vou jogando e não quero imaginar nada que vai acontecer pela frente, só quero jogar e viver, e se acontecer, eu vou me surpreender. Mas não vou jogando e esperando porque isso não é muito saudável, você ter muita expectativa. Não sou muito fã disso.

Brunno, para encerrar, quer oferecer para alguém esse resultado ou deixar algum recado?
Eu ofereceria esse resultado para o meu pai. Quero que ele saiba que o filho deve bateu na trave de ser campeão mundial de poker no maior evento de todos, que é a WSOP. Então, ele ficaria orgulhoso disso. Eu também queria agradecer a todos que torceram por mim, pessoas que eu conheço e pessoas que eu não conheço. À galera que transmitiu, gostaria de parabenizar o trabalho, acho muito legal ver a galera comentando cada mão. E um recado é: não para por aí, eu ainda vou atrás de muita coisa.

Clique aqui para abrir sua conta no GGPoker e buscar a joia mais cobiçada do poker na WSOP Online.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

    Você concorda com os termos de uso do SuperPoker, que utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e armazena os seus dados acima solicitados sem finalidade comercial apenas para comunicação direta com você e acesso aos serviços do SuperPoker. Você pode solicitar a remoção dos seus dados pessoais do SuperPoker a qualquer momento.