COMPARTILHAR
João Fera - BSOP Millions

João Fera tem uma carreira longa no poker e cheia de alegrias. Fã de futebol e pagode, o craque do Samba Poker Team, natural de Carapicuíba (SP), viveu no último mês um momento especial. Nas mesas da WSOP Online, conquistou duas mesas finais. A primeira no Evento #80, terminando na quarta colocação.

VEJA MAIS: Yuri Martins forra seis dígitos na mesa final do Super MILLION$

A segunda, ainda mais especial, no Main Event, simplesmente o maior torneio da história do poker online. O bracelete novamente não veio, mas os US$ 666.636 embolsados pelo sexto lugar representaram mais que o triplo da maior premiação do profissional até aquele momento.

No HendonMob, Fera acumula US$ 189 mil em premiações no circuito ao vivo. No online, por outro lado, são cerca de US$ 2,8 milhões em premiações, com mais de US$ 700 mil conquistados nas mesas do GGPoker nos últimos meses. O SuperPoker aproveita o gancho de uma postagem feita pelo craque nas redes sociais, mostrando seu “ritual” pré-grind, para fazer essa homenagem no título da matéria.

Assista abaixo à “meditação” de João Fera

 

View this post on Instagram

 

A post shared by João Otávio (@joaofera) on

Em entrevista, o craque falou sobre o momento especial da carreira, a emoção de disputar a mesa final do Main Event e muito mais.

Confira a entrevista completa com João Fera

Duas mesas finais, incluindo o Main Event, que saldo você faz da WSOP Online?
É um saldo extremamente positivo, não tem como ser diferente. Saio com mais experiência ainda, duas mesas finais valendo bracelete, incluindo o Main Event. Foi a maior mesa final da história do poker online, e ter participado é com certeza uma experiência que vou levar pra frente e vai agregar muita coisa para mim.

VEJA MAIS: Luan Felipe é bronze no High Rollers Battle Royale e no Marathon do GGPoker

O que esse resultado representa para sua carreira?
Entre outras coisas, o que mais representa para minha carreira é uma maior estabilidade de bankroll, financeira. Eu já vinha bem estabilizado, com ótimos resultados nos últimos anos, mas agora é uma premiação muito grande mesmo, o triplo da maior da minha vida. A parte que mais vai ser impactada é essa, tenho certeza que não sou um melhor jogador por ter feito mesa final do Main Event do que era há uma semana. Dá mais confiança por jogar uma reta final dessa sem sentir muita pressão, a consolidação da confiança e se sentir pronto para jogar essas paradas muito grandes.

João Fera - BSOP100
João Fera conquistou a melhor colocação da história do Brasil no Main Event

Se arrependeu de alguma jogada ou faria algo diferente?
Não me arrependo de nenhuma jogada. Isso não quer dizer que tenham sido todas as melhores jogadas, mas de forma alguma me arrependo, porque o que mais me concentrei e coloquei na cabeça foi sentar e não sentir pressão, fazer as jogadas que eu achava que teriam que ser feitas. Posso ter errado uma coisa ou outra, mas não me arrependo, porque fiz as jogadas que na hora pensei que devia fazer.

O fato de o torneio ter transmissão com cartas reveladas altera a dinâmica de alguma forma?
Acho que não muda muito ter as cartas reveladas. Eu fiquei o tempo todo ali assistindo pra pegar informações, e essa é um pouco a diferença, mas o delay é bastante grande, então não acho que isso mude muita coisa, só essa parte de ter as informações, mas nada muito relevante.

VEJA MAIS: Brunno Botteon salta para o segundo lugar no ranking do poker online

Como foi a reação de amigos/família com esse resultado?
A reação dos amigos e da família foi simplesmente bizarra. Meus pais, minha irmão, todo mundo assistindo em casa ao vivo, recebi mensagem dos meus primos assistindo, bem surreal mesmo. Sem contar os amigos todos, mandando mensagem, tive quase 200 menções em stories do pessoal torcendo, bem absurdo. Foi muita gente mesmo, fiquei surpreso até e bem feliz com isso.

João Fera
João Fera ficou surpreso com a quantidade de mensagens recebidas

Como você vê a performance histórica do poker brasileiro nesta WSOP?
Eu vejo a performance brasileira sem surpresa, algo que eu já esperava, talvez até mais. O Brasil hoje tem muitos bons jogadores, muitos times, e sabemos que o único motivo para não ter muitos braceletes, um atrás do outro, todos os anos, é a questão da viagem, ser em Las Vegas. Já é um buy-in caro, e para o brasileiro que joga em dólar e com o real bem desvalorizado, é um empecilho muito grande. Com a oportunidade de jogar sem ter que viajar, jogar de casa, muita gente que acaba não indo para lá, jogou. Muito mais brasileiros tiveram oportunidade e é isso que vai acontecer quando tiver muitos de nós no field. Hoje em dia, o Brasil é uma potência, vejo sem nenhuma surpresa.

VEJA MAIS: “Meia dúzia!”: Vitão vai à loucura com river salvador de Botteon

Acredita que, mesmo passado o coronavirus, esse modelo de WSOP Online, disponível para o “mundo todo”, deva se repetir?
Não acredito que vá ter uma WSOP tão grande online assim pós coronavírus, mas creio que vão querer fazer sim alguma coisa para o mundo todo participar. Acho que tem boas chances de alguns poucos eventos abertos para o mundo. Mas grande assim, uma série toda, como a de Vegas, acho bem difícil. Até espero que não tenha mesmo, acho que tem que ser lá, não vejo por que mudar isso.

Como avalia as estruturas e a grade de torneios dessa WSOP Online?
Gostei bastante das estruturas e da grade também. Acho que não banalizaram os torneios, tentaram seguir a mesma linha dos buy-ins de lá, e não descaracterizaram muito a série. Fizeram um bom trabalho nesse sentido.

Clique aqui para abrir sua conta no GGPoker e buscar a forra.

Confira o último episódio do Pokercast:

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.