COMPARTILHAR
Nelson Alves está jogando caro contra Doug Polk
Nelson Alves está jogando caro contra Doug Polk

Doug Polk começará o tão esperado desafio contra Daniel Negreanu no dia 1º de novembro. Enquanto isso, vai praticando seu jogo contra outros adversários. Um deles é o português Nelson Alves. Profissional de cash game, o jogador enfrentou o americano nas mesas de heads-up do Americas Cardroom com blinds US$ 50/US$ 100.

Para Alves, que também é a streamer, foi a oportunidade de enfrentar uma das lendas do cash game heads-up. “A sensação foi muito boa”, contou o português em entrevista exclusiva ao SuperPoker. “Enfrentar um dos teus ídolos e uma pessoa que foi tão marcante no poker online por tanto tempo é bastante desafiante em termos mentais, porque tu sabes que tens o mundo a ver”.

VEJA MAIS: Milhões em prêmios, prejuízo na conta: Isaac Haxton e a realidade do live

O duelo terminou em prejuízo de quase US$ 10 mil para o português, que apanhou do baralho. Prova disso é o “All in EV” de aproximadamente US$ 120 mil positivos nas cerca de 4.000 mãos jogadas. Assim, para o próximo desafio contra Polk, no sábado (24), a expectativa é das melhores. “Houve alguns momentos que ele teve o ‘momentum’, porque emocionalmente me fui abaixo”, contou. “É difícil lidar com a variância, principalmente num match em que tive do início ao fim uma run em EV muito má, mas sinceramente em termos estratégicos, estive quase sempre passos à frente.”

Gráfico do duelo prova a runnada cruel de Nelson Alves
Gráfico do duelo prova a runnada cruel de Nelson Alves

Em uma das mãos de destaque no confronto entre ambos, o profissional foi colocado em uma decisão difícil. Alves abriu raise para US$ 250 com QTo e recebeu o call. O flop trouxe 972, com duas de espadas, e Polk deu check-call em US$ 500. O turn foi um 5 de paus, e ambos deram check, com uma Q de ouros completando o board. Com quase US$ 1.500 no pote e possuindo top pair, Alves apostou US$ 3 mil, duas vezes o pote, e Polk foi para o check-raise all in de US$ 12.022 no total. Após usar seu time bank, o português optou pelo call e puxou o pote de mais de US$ 25 mil, para comemoração dos portugueses que acompanhavam na Twitch.

Assista à mão em questão

Apesar da confiança em seu jogo contra Polk, Alves explica que ainda acredita na vitória do americano no duelo contra o canadense. “Apesar de estar sem jogar poker há alguns anos, está a meter o trabalho certo e a evoluir”, explicou. “Posso dizer que a evolução dele do primeiro para o segundo match foi muito grande e tem a capacidade de aprender fora das mesas que eu acho que Negreanu não tem”.

Confira a entrevista na íntegra com Nelson Alves

Apresente-se para o público brasileiro

Comecei a ter interesse em poker em 2013, e em 2015 comecei a levar o poker mais a sério, como um trabalho a full time e de forma profissional. Fui subindo os stakes até que, em finais de 2017, já estava a jogar NL1k até NL5k. Em 2018, mudei para o México, onde conheci a minha mulher e tivemos um filho, e aí foi um processo difícil no poker, onde desci os limites para jogar só NL1k para subir outra vez os stakes. Este processo começou em novembro de 2018, porque foi um ano muito difícil de conseguir jogar poker.

VEJA MAIS: Satelitou a WSOP 101 vezes e não jogou: a história de Stephen Chidwick

Em outubro de 2019, já estava de volta ao NL5k e, desde maio de 2020, só estou a jogar NL5k até NL20k. Sou especialista em 6-max e em HU. Hoje em dia, o meu trabalho no poker não é tão focado em meter volume como era antigamente nos stakes mais baixos. A minha maior preocupação é estar equilibrado em todos os sentidos, mental, técnico, emocional e físico, para que a minha performance seja a melhor nos momentos em que estou a jogar, tendo em conta o nível de competição que existe nestes jogos.

De 6 meses para cá, comecei a trabalhar mais as redes sociais, com o objectivo de promocionar o poker nos países de língua portuguesa, e principalmente os cash games. Todas as terças-feiras faco streaming de NL1k e NL5k por 3 horas, tenho tambem página de Instagram onde vou publicando material de revisão de mãos que tenho feito com outros jogadores portugueses de cash games. Até está para sair uma revisão com o Zagazaur em que fazemos uma revisão de uma mão de cash e uma mão de torneios.

Como surgiu a ideia para enfrentar o Doug Polk?

A ideia de enfrentar o Doug Polk foi um bocado através do Twitter. Nos portais de notícias mundiais, soube que o Doug estava de volta às mesas e à competição para se preparar para o match com o Daniel Negreanu. Achei que seria uma boa oportunidade de me por à prova contra uma das maiores lendas do poker online. Inicialmente mandei-lhe Tweets a perguntar se queria jogar, mas ele nunca respondeu, até que houve um dia que fiz um Tweet diretamente a desafiá-lo, ao qual ele respondeu por mensagem privada.

VEJA MAIS: Sueco leva o pior runner runner que você verá por algum tempo

Determinamos pequenas condições como eu poder fazer pausas para fumar de x em x tempo e quantas horas íamos jogar. Fizemos a primeira sessão, foi boa e ficamos de fazer ou nao fazer uma segunda sessão, porque ele não tinha a certeza se queria jogar contra mim. Acabamos por fazer uma segunda sessão de 11h passado uns dias, no final ele disse que precisava de trabalhar muito o jogo dele para me conseguir vencer e que não tinha certeza se conseguia.

Doug Polk
Doug Polk está treinando com outros oponentes até enfrentar Negreanu

Eu sempre disse que estava apto a jogar quando ele quisesse e ofereci a minha ajuda para o preparar para o match contra o Negreanu, ele respondeu que provavelmente não íamos jogar mais e que tinha uma equipe com quem já trabalhava e que não me podia juntar. Esta semana ele veio falar comigo a perguntar se queria jogar e respondi que não podia porque tive uma operação, mas que este sábado em príncipio já vou estar melhor e, em princípio, vai haver o terceiro round.

Como foi a sensação de enfrentar alguém que já foi reconhecido como um dos melhores nesse formato de heads-up?

A sensação foi muito boa, enfrentar um dos teus ídolos e uma pessoa que foi tão marcante no poker online por tanto tempo é bastante desafiante em termos mentais, porque tu sabes que tens o mundo a ver. Tentei me abstrair de todas as coisas que não podia controlar e só focar me naquilo que posso controlar, que são as minhas estratégias e o lado mental, manter me sempre controlado emocionalmente e focado em jogar o melhor possível.

VEJA MAIS: Mikhail Shalamov leva susto com forra em baú do PokerStars

O fato de ser o Doug do outro lado ajuda porque fez com que eu queira provar mais e mais a mim mesmo que era capaz de lhe ganhar e superar esta aventura na minha vida. Foi um grande crescimento como pessoa e como jogador de poker, posso dizer que o match fez com que o meu auto conhecimento dos meus pontos fortes e debilidades seja ainda maior.

Como você avalia o jogo de Polk durante esse duelo?

Eu acho que o Polk hoje em dia não é o Polk de há uns anos, quando ele era o melhor do mundo, o que é perfeitamente normal, o jogo evoluiu. Acho também que ele tem a capacidade de voltar a ser um dos melhores do mundo em HU, porque tem um espírito de trabalho invejável e uma veia competitiva incomparável.

Quanto ao nível de jogo do Polk no duelo, sinceramente acho que esteve sempre a remar contra a maré e que controlei o match a 80% do tempo. Houve alguns momentos que ele teve o ‘momentum’, porque caí emocionalmente. É difícil lidar com a variância, principalmente num match em que tive do início ao fim uma run em EV muito má, mas sinceramente em termos estratégicos, estive quase sempre passos à frente.

A maioria das casas de apostas coloca Negreanu tendo odds de 5 para 1. Considerando as odds, em quem você apostaria?

Eu apostaria sempre no Polk. Apesar de estar sem jogar poker há alguns anos, está a fazer o trabalho certo e a evoluir. Posso dizer que a evolução dele do primiero para o segundo match foi muito grande e tem a capacidade de aprender fora das mesas que eu acho que o Daniel Negreanu não tem.

VEJA MAIS: Brunno Botteon relembra seu primeiro BSOP: “Jogador de micro e sonhador”

Para além de que no poker é sempre necessário os quilômetros de experiência e mãos jogadas nos diversos formatos, coisa que o Negreanu não tem em HU. Eu dou claro favoritismo ao Polk e até acho que é uma boa aposta no Polk com essas odds. Atenção, eu não sou especialista em odds e apostas (risos), é só a minha opinião.

Você irá enfrentar Polk novamente neste sábado, qual a expectativa para mais um duelo?

Tudo indica que sim, vamos nos enfrentar este sábado outra vez em blinds $50/$100 na Americas Cardroom. Quanto ao terceiro round, tendo em conta os rounds anteriores, estou a me preparar em termos estratégicos para algumas modificações ou adaptações no jogo dele, porque algumas coisas que fez não funcionaram contra muitas das coisas que eu fiz. Acho que continuo a ser favorito neste match, mas sinceramente acho que de round para round o meu edge vai diminuindo.

Confira o último episódio do Pokercast:

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

    Você concorda com os termos de uso do SuperPoker, que utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e armazena os seus dados acima solicitados sem finalidade comercial apenas para comunicação direta com você e acesso aos serviços do SuperPoker. Você pode solicitar a remoção dos seus dados pessoais do SuperPoker a qualquer momento.