COMPARTILHAR
Las Vegas se tornou a novidade em grandes ligas esportivas americanas
Las Vegas se tornou a novidade em grandes ligas esportivas americanas

Para quem gosta de poker, Las Vegas é uma cidade mágica, onde todos desejam estar um dia. Mas o esporte da mente não é a única modalidade presente na região. A “Cidade do Pecado” tenta cada vez mais se abrir para os grandes mercados esportivos dos Estados Unidos.

Na segunda metade do Século XX, é indiscutível que Las Vegas virou sinônimo de poker, cassinos e apostas esportivas. As principais ligas eram encaradas ali como uma ciência exata para saber em qual equipe os frequentadores deveriam colocar seu dinheiro.

VEJA MAIS: Você já apostou R$ 1 milhão sem ver as cartas? E sete vezes seguidas?

No que diz respeito a esportes profissionais de grandes apelos em escala nacional e mundial, a cidade se resumia a sediar lutas de boxe e MMA. Foi na arena do Hotel MGM, em 1997, que Mike Tyson mordeu a orelha de Evander Holyfield em um momento que ficou marcado na história.

Em Las Vegas, Mike Tyson mordeu e arrancou um pedaço da orelha de seu oponente, Evander Holyfield (Foto: AFP)
Em Las Vegas, Mike Tyson mordeu e arrancou um pedaço da orelha de seu oponente, Evander Holyfield (Foto: AFP)

A partir do novo século, Las Vegas abriu os olhos para as grandes ligas esportivas americanas. Na última década, a cidade se tornou sede de times de basquete, hóquei no gelo e futebol americano. E existem algumas explicações para isso.

Uma delas é que a cidade simplesmente cresceu. A população de Las Vegas mais do que dobrou desde 1992. São mais de 600 mil habitantes, e antes de receber os novos times, era a segunda maior região metropolitana dos Estados Unidos que não possuía representantes nas grandes ligas, somente atrás de Riverside (Califórnia).

VEJA MAIS: Bad beat cruel tirou Ronaldo do BSOP Millions; relembre

O dinheiro também falou alto nesse cenário. Ao fim da Las Vegas Strip, avenida com os principais cassinos da cidade, um grupo de investidores bancou a construção da T-Mobile Arena em 2016. O estádio recebe eventos de diversos esportes, como basquete e hóquei no gelo.

T-Mobile Arena, em Las Vegas
T-Mobile Arena, em Las Vegas

E por fim, algo igualmente relevante nessa história é o processo de aceitação dos altos comissariados das ligas sobre as apostas. Até pouco tempo, os chefões de organizações como NBA e NFL eram totalmente contra as apostas esportivas, mas agora, veem com bons olhos. “Todos nós nos envolvemos, nem que seja um pouquinho, com o mundo das apostas”, disse o comissário da liga de futebol americano, Roger Goodell, em entrevista à ESPN. “É bom para o mercado, gera engajamento”, comentou o chefe da NBA, Adam Silver, em um programa da emissora americana CBS.

O pioneirismo das mulheres: chegou o Las Vegas Aces
A'ja Wilson, melhor jogadora da WNBA em 2020, em ação pelo Las Vegas Aces (Foto: NBAE)
A’ja Wilson, melhor jogadora da WNBA em 2020, em ação pelo Las Vegas Aces (Foto: NBAE)

A inauguração da T-Mobile Arena, em 2016, foi um marco para a história da cidade no sentido de que, a partir de tal momento, Las Vegas se torna uma cidade esportiva. Ao mesmo tempo, a franquia Stars da WNBA (Liga Feminina de Basquete dos Estados Unidos) estava à venda pelos antigos detentores, baseados em San Antonio (Texas).

Como um pontapé inicial no processo de sediar não só eventos, mas sim times, a proprietária do MGM Resorts comprou a franquia, e lhe transportou para Las Vegas. Nascia ali, o Las Vegas Aces, primeiro time profissional de basquete da história de Nevada. O nome, mais do que sugestivo, simboliza a melhor mão inicial do poker: AA

Sob o comando técnico de Bill Laimbeer, o Aces recrutou a ala-pivô A’ja Wilson logo em seu primeiro draft. Em 2020, o investimento começa a dar frutos: Wilson foi eleita a melhor jogadora da temporada da WNBA.

Gelo no deserto: Vegas Golden Knights
Daniel Negreanu esteve presente nas finais de 2018 da NHL
Daniel Negreanu esteve presente nas finais de 2018 da NHL (foto: Michael Russo/The Athletic)

No ano de 2017, Las Vegas provou que entrou no mundo dos esportes de uma vez por todas. A NHL (Liga Nacional de Hóquei no gelo) decidiu que iria aumentar seu número de franquias, e uma das cidades premiadas foi Vegas.

Bancado pelo bilionário Bill Foley, o 31º time da NHL foi batizado de Vegas Golden Knights, e logo cativou a população da cidade. Uma legião de fãs se formou, inclusive a lenda do poker Daniel Negreanu. O “Kid Poker” fez até parte de um grupo que se uniu para ajudar a aumentar o interesse pelo esporte na cidade e vender ingressos antecipados, mesmo antes da definição do nome. O Golden Knights rapidamente se tornou o time de uma das torcidas mais apaixonadas do país.

Para a alegria dos fãs e investidores, o time surpreendeu e, logo na temporada de estreia, chegou à final da liga. A derrota para o Washington Capitals na série melhor de sete jogos não ofuscou o sucesso da franquia no seu ano inaugural.

Time velho, casa nova: Las Vegas Raiders
Allegiant Stadium, nova casa do Las Vegas Raiders
Allegiant Stadium, nova casa do Las Vegas Raiders

Falando em torcida apaixonada, uma das mais famosas da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano) é a do Raiders, que passou mais de 40 anos em Oakland (Califórnia). Após desencontros com a prefeitura da cidade, que prometeu, mas nunca entregou um estádio ao time, a franquia decidiu procurar uma nova casa.

Embalado pelas iniciativas em outras ligas, Las Vegas mergulhou de cabeça nas negociações e despontou como favorito após o Raiders não conseguir autorização da NFL para ir a Los Angeles. Ainda em 2016, o Comitê de Turismo e Infraestrutura do Sul de Nevada aprovou, de forma unânime, um plano de US$ 750 milhões para a construção de um novo estádio na cidade.

As conversas avançaram, e o tradicional Oakland Raiders virou Las Vegas Raiders, estreando a nova casa em 2020. Inclusive, o Allegiant Stadium, o tão sonhado estádio próprio do Raiders, custou US$ 1,8 bilhão para ser construído, sendo um dos mais tecnológicos e luxuosos do país. A franquia bancou a maior parte dos custos e, nessa segunda-feira (21/09), o Las Vegas Raiders ganhou a primeira partida da liga disputada na cidade.

O que vem por aí?
O Draft da NFL seria em Las Vegas, mas não pôde ser presencial
O Draft da NFL seria em Las Vegas, mas não pôde ser presencial

A cerimônia do Draft de 2020, o dia de recrutamento dos jogadores do futebol americano universitário pela NFL, já estava programado para Las Vegas. Devido à pandemia, o encontro foi virtual, e a cidade receberá o Draft em 2022.

A expectativa, seja dos habitantes de Las Vegas, que por tanto tempo tiveram que buscar times de outras cidades para torcer, quanto dos investidores que compraram a ideia do esporte na região, é de que o sucesso inicial das equipes prossiga e que elas conquistem títulos.

Ainda existe a chance, nos próximos anos, da cidade ter times de outros esportes, como beisebol, futebol e basquete masculino. Tudo depende da abertura das ligas quanto à expansão ou mudança de sede de alguma franquia, e do interesse da cidade (que já está mais do que evidente).

Las Vegas cresceu, e por isso conta com novas atrações, sobretudo nos esportes. Mas ela segue e sempre será o berço de um dos esportes mais encantadores do mundo, o poker.

Confira o último episódio do Pokercast:

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

    Você concorda com os termos de uso do SuperPoker, que utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e armazena os seus dados acima solicitados sem finalidade comercial apenas para comunicação direta com você e acesso aos serviços do SuperPoker. Você pode solicitar a remoção dos seus dados pessoais do SuperPoker a qualquer momento.