COMPARTILHAR
Além do poker, Mário Júnior tem o drift como uma de suas paixões
Além do poker, Mário Júnior tem o drift como uma de suas paixões

Mário Júnior foi o convidado do episódio 167 do Pokercast. Na conversa com Guilherme Kalil e Marcelo Lanza, ele contou uma história envolvendo um dos seus hobbies, o drift.

VEJA MAIS: Você pagaria? Stefan Burakov acerta call em pote de US$ 31 mil contra “limitless”

Primeiramente, o jogador falou sobre a origem dessa diversão, que vem desde a infância, quando ele acompanhava o pai e o tio nas oficinas mecânicas e encontros de carros personalizados. “Eu ia nessas festas com 11, 12 anos, e foi a primeira vez que o meu tio deixou eu dirigir um carro”, confessou Mário. “Eu cresci com isso, com essa vontade de dirigir, pilotar”, disse.

Mas, com o passar do tempo, o catarinense largou o mundo dos carros. “Foi um sonho, um negócio que eu deixei de lado porque fui fazer outras coisas da vida”, falou. Depois, a paixão dele passou a ser o drift, e Mário virou fã de alguns dos melhores do cenário nacional no ramo, como Márcio Cabeça.

VEJA MAIS: Bugatti perdido em mesa de poker é exposto em museu após 75 anos submerso

Em um certo momento, a namorada de Mário, Fernanda Lopes, lhe avisou que eles iriam viajar. Quando chegou no destino, ele percebeu que a mulher havia preparado um curso de drift com o próprio Márcio Cabeça de instrutor. “Eu comecei a chorar igual criança”, revelou o jogador.

Confira a pílula do Pokercast com Mário Júnior: