COMPARTILHAR
Lui Martins opinou sobre a questão dos streamers no poker
Lui Martins opinou sobre a questão dos streamers no poker

Nunca houve tantos streamers de poker como hoje. A facilidade para colocar uma transmissão no ar e equipamentos mais acessíveis são alguns dos motivos, assim como o crescimento de plataformar como a Twitch. No entanto, grindar transmitindo ajuda ou atrapalha? Lui Martins opinou.

VEJA MAIS: Quatro vezes em que jogadores de poker saíram na porrada; relembre

“Na minha opinião, não. Ajuda bastante”, disse no mais recente episódio do Pokercast, explicando que sua carreira de streamer começou quando passou a jogar por conta, ao invés de para um time. “Eu acho que streamar atrapalha, mas ajuda, e a soma é +EV.”

Confira a opinião do jogador nas pílulas do Pokercast

“Tem coisas boas e tem coisas ruins, mas o resultado final é muito positivo, pelo menos para mim”, opinou. “Me deixa mais focado, cria várias metas e objetivos públicos, o que faz com que eu tenha um gás extra. A comunicação com o pessoal é uma coisa que também me dá vontade de dar meu melhor”.

VEJA MAIS: Sonho de showdown, pesadelo de board: streamer russo volta a sofrer

Para o profissional, o maior esforço em interagir com o público e falar em voz alta sobre as mãos faz a diferença no foco. “Não dá tempo de abrir Youtube, aba de sei lá o que, olhar celular, você não tem como fazer isso”, explicou. “Para mim, é muito +EV. Claro que uma hora ou outra você dá uma gaguejada, um misclick, mas com a experiência e o tempo isso fica mínimo”.

Confira essa e outras histórias no episódio completo