COMPARTILHAR

O patrocinador oficial da WSOP 2016 também é o patrocinador oficial da cobertura do Superpoker no maior evento de poker do mundo. Acesse o site, abra sua conta e ganhe o bônus de boas vindas.

Um conselho recorrente para muitos esportistas é se aposentar enquanto ainda estão no auge e não sofrer com a decadência do fim da carreira. No entanto, em meios como o do poker, nunca se espera que esse auge será atingido aos 22 anos. 

Dias após conquistar seu primeiro bracelete no High Roller for One Drop, o fenômeno alemão Fedor Holz chocou a todos anunciando que irá se aposentar da carreira de jogador profissional de poker.

Analisando os resultados recentes de Holz, fica difícil entender a decisão. Nos últimos 14 meses, ele conquistou mais de US$18 milhões em premiações ao vivo, sendo US$10 milhões nas últimas seis semanas. Apenas para se ter uma ideia, ele já figura na nona colocação na lista de mais premiados em torneios live de todos os tempos.

"Várias pessoas possuem trabalhos únicos ou empresas muito especiais e eu sinto que possa existir algo que eu possa gostar muito mais do que poker", justificou o jogador de apenas 22 anos. "Eu sou uma pessoa muito dependente de progresso, eu preciso disso. Isso me faz feliz e se eu não progrido não consigo estar contente." Ou seja, um dos motivos é que o sucesso veio tão rápido e de forma tão intensa que Fedor quase não tem mais grandes objetivos a conquistar no poker.

Perguntado sobre o que planeja para o futuro, o alemão explicou que está empolgado com as muitas possibilidade que o grande bankroll acumulado trouxeram. "Eu não sei. Acho que a missão é descobrir isso e acho que viajar vai me ajudar a achar meu caminho, eu quero tentar várias coisas diferentes," explicou. "Eu dependo muito de ter tempo para mim, recarregar as baterias. Sinto que estou exausto depois de tantas viagens, apesar de gostar disso por ser intenso. Sinto que existem outras coisas onde eu poderia ter essa sensação em um ambiente mais saudável".

Não é a primeira vez que um jogador anuncia a aposentadoria mesmo em uma grande fase na carreira. No ano passado, Rafael Caiaffa fez o mesmo, logo após ganhar o título de Campeão Brasileiro de Omaha. Assim como o mineiro, Holz apontou que não vai parar de jogar poker, mas vai passar a praticar o jogo apenas por hobby, sem as obrigações do profissionalismo.

"Eu pratico umas 2000-3000 horas de poker por ano, entre jogar e dar coach, e sinto que gosto de cerca de 400 horas disso e o resto é só como um trabalho", explicou. "Sinto que agora eu tenho a liberdade de dizer 'vou jogar apenas as 400 horas que eu quero' e levar como um hobby. Eu não sou o tipo de pessoa que fica apenas sentado relaxando na praia, então encontrarei alguma outra coisa."

Resta saber se Holz levará o plano adiante. No passado, Mike McDonald, o "Timex", e Shaun Deeb também chegaram a anunciar aposentadorias, apenas para acabarem retornando para o grind.