COMPARTILHAR
Hugo Cabral campeao SCOOP
Hugo Cabral campeao SCOOP

O poker está cada vez mais enraizado entre profissionais de todos os esportes. Não é difícil perceber isso: Maurren Maggi, Rodrigão, Fernando Scherer, Neymar e Thiago Camilo são alguns exemplos, de modalidades diferentes, que levam a sério e são regulares do esporte da mente. Neste último domingo (21), o Brasil ganhou um resultado histórico vindo de um jogador de futebol. O atacante Hugo Cabral, do América Mineiro, entrou para o seleto hall de campeões do SCOOP (Spring Championship of Online Poker).

Hugo engatou na versão Low do Evento #56 ($109 NLH Turbo KO Progressivo) e encarou um field gigantesco de 6.646 jogadores. O atacante conseguiu uma premiação de US$ 64.491, aproximadamente R$ 210.000 na cotação atual. Aos 28 anos, Hugo disse para o SuperPoker que a forra “veio na hora certa, para ajudar a família”.

O mais novo detentor do cobiçado relógio exclusivo para campeões do SCOOP conheceu o poker em 2014, quando jogava pelo Joinville e morava com o primo. Os dois começaram juntos no esporte da mente. O atacante, com passagens por clubes como Bahia, Avaí e Criciúma, se destacou no ano passado com a camisa da Luverdense e foi contratado recentemente pelo América Mineiro, que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

O SuperPoker teve a honra de entrevistar Hugo Cabral, o jogador de futebol que quebrou a barreira do poker online e levou um título de grande expressão. Confira:

Hugo Cabral no BSOP Millions
Hugo Cabral no BSOP Millions

SuperPoker: Qual a sua relação com o poker? Há quanto tempo você joga, consegue ter uma regularidade no dia-a-dia?

Hugo Cabral: Minha relação com o poker começou em 2014, quando basicamente eu aprendi a jogar. Eu não conhecia muito bem, só ouvia falar. Nunca tinha jogado e nem tinha vontade de aprender. Sou do Rio de Janeiro, lá não tinha tantas casas de poker, nem muita gente que jogasse. Quando fui jogar no Joinville, em 2014, lá tinham quatro jogadores do time que jogavam. Eu só sabia jogar caxeta. Acabou que eles me ensinaram, tomei gosto na hora. Virou paixão, comecei a jogar bastante live, foi assim que eu comecei, sem saber muito. De 2015 pra 2016 foi quando passei a jogar online, não gostava muito antes porque não tinha tempo para jogar, os torneios demoram muito, mas fui conciliando e agora consigo.

SuperPoker: Já caiu a ficha de ter cravado um SCOOP? É um título que muitos jogadores profissionais buscam a vida toda. Como foi sua reação na hora?

Hugo Cabral: Ainda não caiu a ficha. Muitos jogadores profissionais buscam esse título, um torneio grande, a gente sabe como é difícil bater um field de 7.000 jogadores, a premiação altíssima. A competitividade foi muito grande. Eu já vinha tendo alguns bons resultados, melhorei bastante meu jogo online, aprimorei. Sabia que era difícil, mas era um sonho não impossível. Eu achava que podia chegar um dia, mas não tão rápido. Foi difícil de acreditar na hora, mas conforme o torneio foi se desenhando… eu não errei praticamente, na reta final estava firme. Consegui jogar short, com 7 ou 8 bbs, tive paciência e consegui chegar. Feliz demais, foi uma diferença muito boa. Já tinha ganhado outros torneios, mas com essa importância e esse valor de premiação, sem dúvida que foi algo surreal.

SuperPoker: Você já fez ou algum coach? Tem alguém que te ajuda no jogo?

Hugo Cabral: Eu nunca fiz coach, no começo assistia alguns vídeos online no Youtube. Assistia o material grátis de alguns jogadores. Vi um pouco disso no começo, mas procurava uma maneira melhor de eu jogar, no meu estilo de jogo mesmo. Fui levando assim, sem fazer coach. Sempre li algumas coisas, artigos e isso eu fiz bastante no começo. Não tive tanta ajuda assim. Meu primo jogava junto também, joga bastante, começamos juntos. Muitas vezes a gente pegava o histórico de alguns torneios para analisar junto, para ver o que estávamos errando, pra ver o que dava pra melhorar. A gente sempre está junto, jogando live em casa, brincando, ou então no online. Escutar opiniões de outras pessoas é importante e além dele eu mando para outros amigos que são profissionais, esse é um dos caminhos.

SuperPoker: E no seu novo clube, o América Mineiro, rola um pokerzinho na concentração?

Hugo Cabral: Estou no América Mineiro, por incrível que pareça tem poucos que jogam, tem só três aqui e nem chega a rolar jogo. Esse é o primeiro clube, desde que aprendi a jogar, que não rola o poker. Fica difícil com quatro jogadores, então não rola na concentração, tenho jogado mais no PokerStars. Tenho viajado bastante, mudei de clube algumas vezes. Minha mulher não gosta muito que eu saia pra jogar live, pede pra ficar em casa com nossa filha.

SuperPoker: Você já jogou algum BSOP? Pretende jogar em breve?

Hugo Cabral: Pretendo participar de um BSOP esse ano sim, se tiver tempo. Joguei o Millions em 2015, fui com o meu primo, ele sempre está comigo. Ele foi até bem em um, mas eu não consegui chegar. Foi uma experiência muito boa, eu nunca tinha jogado um torneio tão grande, você encontra muita gente do Brasil inteiro. Pretendo participar de novo e dessa vez, mais preparado e maduro, quem sabe buscar uma mesa final de BSOP e ir o mais longe que puder.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.