COMPARTILHAR

A WSOP Circuit Argentina terminou na terça-feira (08), mas o desempenho extraordinário dos jogadores brasileiros será lembrado para sempre. O festival, realizado pela primeira vez na Argentina, contou com a realização, obviamente, do Main Event, e de outros seis torneios paralelos. Assim, foram distribuídos sete anéis.

Apesar do sucesso, o primeiro paralelo do festival teve um gosto bem amargo para o país. O craque Ariel Bahia ficou muito perto de vencer o Crazy Eights, que teve um field de 294 entradas. Ele tinha grande vantagem sobre o paraguaio Ariel Gamarra no heads-up, mas levou uma dolorida virada. Nem Brasil, nem Argentina. O primeiro anel foi para o Paraguai.

Bastou apenas essa trave para o show brasileiro começar. Logo no dia seguinte, quando parecia que o segundo anel da série seria de um argentino, um jogador de São Luís do Maranhão mostrou a força do Brasil. Lucas Barroso fez a FT do torneio turbo contra simplesmente sete argentinos e um paraguaio. Ele levou a melhor, ficou com o anel e uma forra de US$ 16.600.

Mais um dia, mais uma vitória. Rogério Siqueira, uma das figuras mais conhecidas do país em torneios de grande porte, também entrou para a história. O alagoano foi o grande campeão do torneio de Omaha após jogar a mesa final com maestria e muita paciência. O heads-up contra o argentino Pablo Paneta foi uma verdadeira batalha.

Após um dia sem finalização de torneios, outro regular do Brasil entrou para a festa. O profissional Luís Kamei saiu vitorioso no Second Chance, ou 888 Finale, como muitos chamaram. Com buy-in de US$ 500 e um field de 288 entradas, a jornada de Kamei foi coroada com o prêmio de US$ 30.250, fora o anel.

Depois de três conquistas, a cereja do bolo ficou para o último dia. Os brasileiros deram show nos dois principais torneios da grade: O Main Event e o High Roller, sendo maioria na mesa final com cinco representantes em cada. No High Roller, teve dobradinha no heads-up. Wender Oliveira derrotou o especialista no formato Luiz Duarte para ficar com o anel.

No Main Event, embalado com uma torcida gigante e muito barulhenta, o jogador Rafael Pandolfo conseguiu uma arrancada sensacional e desabou de emoção após vencer o argentino Alejando Sicuro no duelo decisivo. Pandolfo levou US$ 140.050 pela vitória e o mais cobiçado dos anéis.

A Argentina foi, provavelmente, maioria em todos fields e teve muitos representantes em todas as mesas finais, mas os anfitriões acabaram sem vitórias. A última chance era no Torneio Solidário, onde os hermanos também eram favoritos para ficar com a joia, afinal, tiveram sete representantes na mesa final. Só não contaram com a excelente jornada do chileno Mauricio Zenam, que saiu campeão.

Assim terminou a WSOP Argentina, um evento que deixou todos os participantes bem encantados com a organização. O show brasileiro resultou em cinco anéis. Agora, o Brasil possui 23 anéis da WSOP Circuit em sua história.