COMPARTILHAR
Guilherme Trevisan - BSOP Gramado
Guilherme Trevisan - BSOP Gramado

Guilherme Trevisan ganhou notoriedade no cenário do poker por seguidos resultados nas etapas do BSOP. Na Argentina, o jogador chegou ao título do Start-Up, já na etapa de Salvador, além de chegar ao 3-handed do mesmo torneio, também foi o grande campeão do Main Event.

Determinado a focar 100% no poker em 2019, o jogador foi o que mais se aproximou de Marcelo Mesqueu na disputa do ranking. Além da impressionante fase do carioca, o que dificultou a situação de Trevisan foi não jogar o Pot-Limit Omaha e nem torneios de Mixed Games. Com isso, o jogador perdeu fôlego e atualmente está na quarta colocação.

VEJA MAIS: Adriana Zamponi evita virada e vence o Ladies Event do BSOP Gramado: “tinha que ficar em casa”

No último WCOOP (World Championship Of Online Poker), a maior série do poker online, o jogador mostrou também que está afiado nos feltros online, chegando em duas mesas finais. No início de outubro, o profissional revelou que conquistou mais de US$ 40 mil de lucro nos trinta dias.

Apesar da impressionante performance, nem tudo foi festa para o jogador neste período. Quando estava disputando a segunda mesa final do WCOOP, foi informado que sua avó havia falecido.

Em entrevista ao SuperPoker, Trevisan falou sobre a disputa do ranking, a grande performance no WCOOP e como foi lidar com uma perda tão crucial em um momento tão importante da carreira. Confira:

Como foi alcançar duas mesas finais no WCOOP?

Foi muito legal, porque eu não era muito de focar no online, praticava de forma recreativa mesmo. Como esse ano decidi me dedicar 100% ao poker, eu coloquei como meta me preparar para o WCOOP. Quando a série começou, as coisas fluíram de uma forma melhor que eu esperava, fazendo duas mesas finais. Além desses resultados, o mês como um todo foi muito bom, foi o meu maior profit de todos os tempos, foram mais de US$ 40 mil.

Guilherme Trevisan - BSOP Gramado
Guilherme Trevisan – BSOP Gramado

É algo que eu só tenho a agradecer. Estou me desenvolvendo no poker e esses resultados só me mostram que eu posso chegar lá e almejar mais.

VEJA MAIS: “Tá na Mão”: Gustavo Hess revela erro contra Luis Kamei na mesa final do Start-Up do BSOP Gramado

O que você quer dizer com desenvolvimento? O que está fazendo?

Além dos cursos da Inagame, também fiz coaching com outro jogador profissional. Eu tenho bastante material e fico estudando em cima disso e recapitulando o que já vi. Uma coisa importante não é só estudar, mas também jogar, aplicar a teoria. Quanto mais você joga, parece que você absorve mais a teoria, isso que estou fazendo e as coisas estão dando resultado.

Quando você estava na segunda mesa final, aconteceu o falecimento da sua avó. Como foi lidar com a situação neste momento?

Foi bem complicado, porque eu passei para o Dia Final de um torneio de US$ 530, um evento caro que não estou habituado jogar, optei por jogá-lo por causa da boa sequência. Ai quando estava na reta final recebi a notícia triste, que minha vó tinha falecido, foi muito tenso, bem complicado mesmo.

Mas eu recebi muito apoio dos amigos, isso me ajudou muito. Também contei com o mensagem de carinho de pessoas que eu não conheço e isso foi bem legal. Consegui me manter jogando, dei o meu melhor, mas sei que não foi o A-Game, principalmente na mesa final, mas faz parte. Não escolhemos o dia de fazer essas decisões, se infelizmente aconteceu de coincidir, fazer o que.

VEJA MAIS: Dia 1A do Main Event do BSOP Gramado classifica 69 jogadores; confira o chip count

Como você está analisando essa reta final de BSOP? Acha que ainda dá para brigar por ranking?

Ser campeão brasileiro está muito difícil, ainda mais que não jogo Mixed Games, nem o Pot-Limit Omaha e também não faço multi-table. Eu entendo que o fato de eu estar nas primeiras colocações do ranking foi devido aos grandes resultados ao longo do ano. Só tenho que agradecer e, se por acaso consegui mais um grande resultado, é só agradecer, mas meu foco hoje é jogar o meu poker, me divertir e colher os frutos desse ano que foi incrível e está dando tudo certo.

Guilherme Trevisan - Campeão Main Event BSOP Salvador
Guilherme Trevisan – Campeão Main Event BSOP Salvador

Qual a expectativa para o BSOP Millions?

Ele é uma etapa a parte do BSOP. Foco total e tentar algo lá. O meu objetivo, óbvio, será o Main Event, ir bem nele. Se vier algum resultado nos paralelos vai ser um plus, mas o foco é o evento principal.

Abra a sua conta no maior site de poker do mundo clicando aqui.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.