COMPARTILHAR
Thiago Grigoletti
Thiago Grigoletti

Nos últimos dois meses, Thiago Grigoletti foi um dos jogadores brasileiros de mais destaque no circuito ao vivo. O maior resultado foi a oitava posição no Millionaire Maker da WSOP, que rendeu mais de US$ 140 mil. O gaúcho ainda conquistou um 25º lugar no Evento #41 e o 47º lugar no Evento #39, sendo o brasileiro melhor colocado nas três oportunidades. O bom desempenho colocou Grigoletti um passo mais próximo de seu objetivo: o topo do ranking brasileiro no Global Poker Index (GPI).

“Eu estou muito ligado no principal ranking de poker, que é o GPI”, contou. “Comecei o ano entre os 50 melhores, percorri o circuito, joguei todos os BSOPs, tive bons resultados na WSOP e agora estou galgando espaço, atualmente estou em décimo. Sonho em chegar em primeiro, sei que é difícil concorrer porque tem uma galera muito forte rodando o circuito e jogando muito caro, mas sonhar é possível.”

Thiago Grigoletti - WSOP 2017
Thiago Grigoletti – WSOP 2017

Ele comentou a alegria de voltar a jogar o BSOP, quase dois meses após a realização da última etapa, em Recife. “Estava com muitas saudades da galera, já estou há 5 anos percorrendo o BSOP, então a gente faz muitos amigos”, explicou. “O povo brasileiro é um povo que gosta de poker, tem muito jogador recreativo, então faz com que seja um bom investimento para nós também. Por isso sempre gosto de jogar, eu adoro o BSOP.”

O profissional de Pelotas (RS) foi um dos que aprovaram a introdução do action clock no torneio High Roller, o que aumentou o dinamismo do torneio. “Acho interessante, porque força o raciocínio rápido”, disse. “Às vezes os jogadores demoram muito em suas decisões, então acho que é interessante, principalmente para quem vem do online, que está acostumado a tomar decisões rápidas. Acredito que é um ponto a favor dos profissionais”.

Thiago Grigoletti
Thiago Grigoletti

No ranking do BSOP, ele está na 30ª posição, longe dos líderes, mas ainda não desistiu da busca pelo topo. “É difícil, eu vim para cá com plano de ganhar o Main Event para tentar encostar, mas sei que está bem distante”, comentou. “O Marcelo Mesqueu está fazendo uma campanha sensacional, ele é meu amigo, parabéns para ele, mas vou continuar sonhando também, pode ser que seja meu”.

Para os próximos meses, o jogador ainda não definiu sua agenda, mas afirmou que não irá perder o BSOP 100, em Foz do Iguaçu. “Estou com bastante dúvida, principalmente em agosto, que tem grandes competições”, explicou. “Tem em Barcelona, Camboriú, Foz do Iguaçu, sinceramente ainda não sei. A de Foz é parada obrigatória, vai ser uma festa do poker nacional, um dos maiores torneios do BSOP já feitos. Não dá para perder.”