COMPARTILHAR
Daniel Aquino - SuperPoker Team Pro
Daniel Aquino - SuperPoker Team Pro

O capixaba Daniel Buzato terminou o ranking de junho do SuperPoker Team Pro na sexta colocação, e garantiu vaga na Semifinal Online. Os 570 pontos ganhos foram suficientes para ele entrar no top 10 do mês. Agora, a missão é ir ainda mais longe.

O engenheiro de 28 anos é um conhecedor do poker há anos, e pratica o esporte da mente de maneira recreativa. Morando atualmente em Niterói (RJ), Buzato aceitou o desafio quando percebeu a facilidade de participar, além das grandes premiações.

O mês foi de duas FTs para o capixaba no SuperPoker Team Pro. Um vice e um quarto lugar ajudaram o jogador a subir no ranking. Agora, ele não só visa os 30% adicionais na semifinal online, mas já pensa nas seis vagas para a grande final, que será realizada ao vivo na WSOP Brazil 2020.

Clique aqui para conhecer o SuperPoker Team Pro

Em entrevista, Buzato falou da sua história no esporte, como foi o mês e expectativas para o futuro no desafio.

Agora o ranking zera e começa tudo de novo. Se você já está cadastrado no SuperPoker Team Pro, continue jogando, temos mais 2 rankings pela frente. Se ainda não se cadastrou, cadastre-se já e tenha chances idênticas aos demais. Para participar do SuperPoker Team Pro, não esqueça de criar sua conta nos sites parceiros (BodogLiga Online H2 Brasil e partypoker). Para depositar, conte com a segurança e rapidez da Trust Fichas. Além disso, utilizando o Slot Poker Pro você pode organizar seu grind de maneira simples, facilitando a participação nos torneios. O desafio também conta com apoio da Copag, referência em materiais para o jogo, que presenteará os campeões e classificados para a Semifinal. Confira a entrevista completa:

Qual é a sua trajetória no poker?
Conheci o poker em 2008, na clássica roda de amigos. Naquela época, nos reuníamos com bastante frequência para conversar, fazer churrasco e jogar truco, até que um dia um dos amigos sugeriu: “bora jogar um pokerzinho?”. A partir daí, aprendemos as regras e o nosso truco passou a ser trocado pelo poker.

Os anos se passaram, os encontros se tornaram menos frequentes e completei 18 anos. Foi aí que decidi criar minha primeira conta online. Após isso, jogava os torneios freerolls online esporadicamente, já que meu intuito era apenas se divertir e tinha medo de depositar nos sites e perder. Em 2016, ganhei meu primeiro freeroll por $118, uma banca razoável para começar a jogar os torneios micros.

Planejei jogar os torneios entre $3-$12 e falei: “agora vai, vou multiplicar isso aqui”. Iludido. Hoje eu consigo dizer que não sabia o que estava fazendo. Aprendi da pior maneira possível: quebrando. Por mais que tivesse sido um valor baixo para muitos, fiquei inconformado com tal situação e resolvi pesquisar para ver se realmente existiam profissionais de poker.

VEJA MAIS: Estreia do ranking de julho do SuperPoker Team Pro terá transmissão ao vivo nesta terça

Na época, encontrei dois nomes que já eram bem lucrativos no poker online, o Caio Pessagno e o Ramon Sfalsin. Consumi grande parte do conteúdo deles e aprendi conceitos importantes para minha virada de chave, como escolha de torneios, gerenciamento de banca, disciplina no poker, variância, bolha, entre outros, além das inúmeras análises técnicas de mãos jogadas. Esses conceitos me permitiram dar uma nova chance pro poker.

Hoje eu não me considero profissional, já que não vivo exclusivamente do jogo e tenho outros projetos paralelos, mas consigo ser competitivo e ter um bom retorno. Em termos de frequência, em 2016 jogava torneios sit & go por volta de uma vez por semana. Esse número subiu ao longo dos anos, e hoje, em 2020, jogo a modalidade MTTs em uma parte do dia com uma frequência média de quatro vezes por semana, variando conforme minha disponibilidade. Meu foco é subir gradativamente os limites, conforme melhore meu nível técnico, com um gerenciamento de banca saudável e sem pressa.

Como ficou sabendo do SuperPoker Team Pro?
Acompanho o trabalho do SuperPoker nas redes sociais e vi o anúncio. Além disso, vi a chamada de algumas das lendas brasileiras do poker: Bruno Foster, Dayane Kotoviezy e Saulo Sabioni.

Por que aceitou o desafio?
Confesso que gostei bastante do formato. Buy-in acessível com vários torneios, acaba premiando a regularidade. Além disso, as premiações são muito boas.

Qual a sensação de já estar classificado para a Semifinal Online?
A mesma sensação de um time fazer 2 a 0 fora de casa e lembrar que tem o jogo de volta no mata-mata. Resumindo, não tem nada ganho. Tenho que focar agora nas seis vagas disponíveis entre os 40 competidores, vou me preparar e dar o meu máximo.

VEJA MAIS: Juliano Sabino festeja vaga na semifinal online do SuperPoker Team Pro: “Feliz e entusiasmado”

Como foi sua trajetória nesse mês?
Pude fazer duas mesas finais dos seis torneios disputados no mês de junho, tendo como resultado um 2º e outro 4º lugar, que acredito terem garantido minha vaga entre os dez primeiros do mês.

Continuará jogando em busca do adicional de 30% no stack da Semifinal Online?
Com certeza, uma vantagem de 30% no stack inicial da uma margem para perder um possível cooler ou flip.

Como foi a repercussão de sua classificação entre família e amigos?
A minha mãe está pedindo o iPhone até agora (risos). Brincadeiras à parte, as pessoas próximas ficaram felizes e me desejaram boa sorte.

Gostaria de mandar um recado ou dica para os participantes?
Não desanimem com um eventual tropeço nos primeiros torneios da etapa. A volta por cima e a regularidade podem te colocar entre os dez primeiros.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.