COMPARTILHAR
Devanir Campos - BSOP SP
Devanir Campos - BSOP SP

Yuri Martins agitou a comunidade brasileira do poker nesta quinta-feira (11) ao apenas dar call com o nuts no Main Event da WSOP. O objetivo do brasileiro era obter a informação da mão do adversário, sabendo que um reraise praticamente nunca receberia call de uma mão pior.

Após a divulgação da mão, muitos se perguntaram se Yuri não deveria ter tomado uma punição. Afinal, apenas dar call com o nuts, sendo o último jogador a falar, é uma atitude que já gerou muitas punições, com a intenção de evitar collusion ou softplay entre os jogadores.

VEJA MAIS: BSOP Winter Millions será crucial para o título de Campeão Brasileiro de Poker

Para esclarecer porque Yuri não foi punido, o SuperPoker falou com Devanir Campos, o “DC”, Diretor de Torneios do BSOP e um dos fundadores da ADTP (Associação de Diretores de Torneios de Poker). Ou seja, um dos maiores especialistas em regras de poker do mundo.

DC explicou que, há alguns anos, a regra foi introduzida na TDA (Tournament Director’s Association), órgão mundial. “A ação passiva, ou seja, pedir mesa ou só pagar a aposta, sendo o último a falar e tendo a melhor mão possível, seria considerada uma violação automática de softplay e passível de punição”.

No entanto, a medida não foi das mais populares. “Gerou muita polêmica, porque muitos jogadores passaram a questionar que em alguns casos era difícil, o cara queria ter informação”, contou DC. “Acabamos de ver o caso de Yuri, que obviamente não está fazendo nada por softplay numa reta final de World Series e queria ver a mão do adversário.”

Em 2017, a questão foi discutida novamente na TDA, e a penalidade automática foi retirada das regras. No entanto, na ADTP, os diretores latino-americanos tiveram uma decisão diferente, continuando a considerar o check-behind com o nuts uma violação automática, com punição para o jogador.

VEJA MAIS: Após cinco anos, Seleção Roraimense de Poker retorna ao CBPE; confira os convocados

“Para deixar claro qual foi o entendimento dos latino-americanos, é que o poker é um jogo de ação agressiva”, detalhou DC. “Apesar de informação ser sim muito importante, o principal objetivo do jogo é acumular o máximo de fichas possível. Então, você tendo a melhor mão possível, não tomar uma ação agressiva parece contraditório.”

Por fim, o maestro do BSOP ainda avisou que a questão será tema de discussão no encontro da ADTP neste ano. Ou seja, o entendimento latino-americano pode voltar a ser o mesmo da TDA. De qualquer forma, o fato é que a atitude de Yuri no Main Event da WSOP não era passível de punição.

Abra a sua conta no maior site de poker do mundo clicando aqui.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.