COMPARTILHAR
Phil Hellmuth - WSOP 2017
Phil Hellmuth - WSOP 2017

A mão a seguir é outra que ganhou destaque no Big Game, programa de cash game high stakes realizado pelo PokerStars, que foi ao ar em 2010. No formato, um amador recebe US$ 100 mil para jogar 150 mãos contra profissionais, ficando com todo o lucro que conseguir. Se ontem o destaque foi um fold pré-flop de AA, hoje é a vez de acompanhar uma bad beat sofrida por Phil Hellmuth que, sem surpresa, deixou o “Poker Brat” bem irritado.

Além disso, essa é uma bad beat especial, pois aconteceu três vezes na mesma mão. O amador da vez é Ernest Wiggins, que resolve, do UTG, realizar o “straddle”, que é um aumento às cegas para passar a ser o último a agir pré-flop. Doyle Brunson dá raise para US$ 2.800 do cutoff, com 65 de copas, Tony G paga do small blind com JTo e Phil Hellmuth decide aumentar para US$ 12.600 com A9o do big blind.

A ação volta para Wiggins, que tem KK e resolve dar apenas o call, assim como Brunson e Tony, gerando um pote de US$ 51.000. O flop é um sonho para Hellmuth, trazendo 9T9 e colocando o Poke Brat à frente de Wiggins. Hellmuth aposta US$ 17.000 e Wiggins resolve aumentar para US$ 36.000. Após um pouco de teatro, o profissional vai all in e recebe o call do amador, que possuía US$ 74.300 no total, gerando um pote gigantesco de US$ 199.600.

Wiggins tinha apenas 15% de chances de ganhar e, se perdesse o pote, estaria eliminado e sem chances de sair do programa com algum dinheiro. Hellmuth oferece ao amador ver o turn e o river mais de uma vez e ambos acabam concordando em ver o resto do board quatro vezes, com 25% do pote em disputa em cada uma delas. Na primeira vez, vitória para Hellmuth, mas o que acontece a partir daí vale mais a pena assistir do que ler. Confira.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.