COMPARTILHAR
Lúcio Antunes - Campeão High Roller CPH 6 - 2017
Lúcio Antunes - Campeão High Roller CPH 6 - 2017

O High Roller do CPH (Campeonato Paulista de Poker) é realmente um torneio especial. Com um field repleto de regulares, o evento é sempre certeza de poker de alta qualidade e muita falinha e descontração nas mesas. Na sexta etapa de 2017 não foi diferente. O título ficou com Lúcio Antunes, que superou uma mesa final cheia de grandes nomes e bateu o amigo Pedro Todorovic no heads-up para ficar com a vitória e o prêmio principal de R$ 65 mil.

“A sensação é muito boa, é espetacular ganhar um torneio desses”, comemorou Lúcio. “Era o único troféu do CPH que eu não tinha de campeão, então completa assim, Omaha, Main Event e Second Chance, só o Ladies que eu não vou ter nunca (risos). É muito bom, estou feliz demais e quero agradecer muito ao Pedrinho, porque o heads-up com ele foi espetacular, sem comentários para ele.”

Tendo recém conquistado a terceira colocação no Main Event do BSOP Curitiba, Pedro retribuiu os elogios à Lúcio, além de afirmar que a frustração por não sair com o título no Campeonato Brasileiro foi muito maior. “Pois é, aqui foi muito mais agradável do que lá”, explicou. “Principalmente porque o Lúcio é um excelente amigo, de coração. Ele merece, tanto faz estar na mão dele ou na minha mão, é igual, se fosse outra pessoa no heads-up eu teria feito uma disputa mais acirrada.”

Pódio High Roller CPH 6 - 2017
Pódio High Roller CPH 6 – 2017

Começando o Dia Final como chip leader, Lúcio seguiu um estilo mais conservador, nunca indo all in com menos fichas até o heads-up, focando na sobrevivência. “Fui jogando por ICM, tentando manter o meu stack confortável, fui de 600 mil para 800 mil, para 1 milhão, caí de novo para 800 mil, mas sempre me mantive confortável, nunca fui all in com menos fichas. Consegui manter o que eu, antes de chegar aqui, pensei em fazer hoje.”

O campeão comentou o alto nível da mesa final, que teve nomes como Paulo Gini, Murilo Reis, Caio Mansur, entre outros. “Formou uma mesa em que o edge praticamente não existia. Jogo há muito tempo, talvez há mais tempo que todos dali, mas todos vem numa crescente. O Paulo Gini vem fantástico, comentamos antes de começar que deve ser a décima mesa final que fazemos juntos esse ano e eu nem tenho jogado tanto. Quando pego essa turma, procuro jogar com valor, em posição, sem inventar muito.”

Todorovic também elogiou seus adversários da mesa final, chegando a fazer uma afirmação contundente. “Esse High Roller eu considero o torneio mais difícil, depois o Main Event do CPH e depois o BSOP”, contou. “Nesse torneio, os caras sabem jogar, não tem aventureiro. Quando chegou com 9 ou 10, todos tinham méritos para ganhar, não tinha nenhum jogador ruim. Foi muito agradável fazer mais uma mesa final com o Lúcio, foi sensacional.”

Mesa final High Roller CPH 6 - 2017
Mesa final High Roller CPH 6 – 2017

Chegando ao fim de um ano em que não foi tão presente no circuito quanto costumava ser, Lúcio explicou que 2018 será diferente. “Agora é foco no Main Event e depois BSOP Millions”, contou. “Estou totalmente focado para o Millions, vai ter muito jogo Mixed, que eu gosto muito. Espero fazer uma boa reta, para no ano que vem voltar com tudo e, mais tranquilo, com a minha filha maior e tudo mais, voltar a jogar tudo.”

Confira todas as eliminações da mesa final na cobertura mão a mão do Mebeliska. 

1 – Lúcio Antunes – R$ 65.000

2 – Pedro Todorovic – R$ 37.000

3 – Murilo Reis – R$ 26.500

4 – Raphael Grilo – R$ 20.000

5 – Caio Mansur – R$ 16.000

6 – Paulo Gini – R$ 13.000

7 – David Dayan – R$ 11.000

8 – Rafael Perri – R$ 9.000

9 – Matheus Dias – R$ 7.500

O H2 Club e o CPH são patrocinados pelo BodogClique aqui e veja como abrir sua conta.