COMPARTILHAR
uPoker
uPoker

Os aplicativos estão cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas. Eles estão sendo responsáveis por mudanças profundas na maneira de como o individuo se relaciona com o próximo, no mercado de produtos e serviços. Os programas já mudaram como as pessoas se transportam, solicitam a refeição e, agora, também chegou ao poker.

Um novo formato de aplicativo criou a possibilidade de juntar amigos para jogar em uma mesma mesa on-line. E se tornou mais do que isso, ganhou expressão mundial ao proporcionar nesse formato que pessoas criem verdadeiros negócios dentro do aplicativo, os clubes de poker on-line. O que parecia ser uma brincadeira de home game, hoje no Brasil existem empresas abertas com CNPJ e funcionários utilizando da plataforma para operar o poker.

Um aplicativo chinês foi o precursor desse formato e é atualmente o mais conhecido, mas assim como nos mercados de comida e transporte, em que novos aplicativos surgiram com propostas e funcionalidades aprimoradas, novos softwares de clubes de poker on-line tem iniciativas em todo o mundo. É o caso do uPoker.

O uPoker tem ganhado a preferência dos usuários na Ásia. O aplicativo já é o mais usado na Malásia, Tailândia, Singapura, Taiwan, Hong Kong, Indonésia e Índia. No Brasil ele ainda não oficializou sua operação, mas já está disponível para download com versão em português e alguns clubes estão se movimentado para serem pioneiros na plataforma.

O que diferencia esse tipo de aplicativo dos tradicionais sites de poker é que o rake arrecadado é do dono da mesa e não do aplicativo, que por sua vez cobram pequenas taxas proporcionais à utilização do mesmo. Para quem quer montar uma mesa e chamar os amigos, é gratuito, e conforme cresce a quantidade de jogos isso começa a ter custos de diamantes virtuais no app. Vale destacar também que nesse modelo não há opção para os jogadores depositarem dinheiro real na plataforma, como nos sites tradicionais, tudo é feito através dos clubes on-line e agentes dos mesmos.

Por outro lado, assim como no poker ao vivo, temos os jogadores que tem outro foco na vida e só querem aproveitar dessa febre para se divertir. Algumas caraterísticas vêm garantindo essa diversão, como a possibilidade de jogar com pessoas que você conhece, enviar áudios durante o jogo, a simplicidade de utilização do aplicativo e jogar com o smartphone na vertical.

O fato curioso é que com esse novo modelo, o número de praticantes de poker no Brasil vem crescendo exponencialmente. Muitas pessoas, que até então não haviam entrado em jogos com dinheiro real, passaram a praticar poker nos clubes on-line pelo relacionamento pessoal com os agentes. Empresas do mercado de poker ao vivo também comemoram a febre dos clubes de poker on-line. “Estamos fabricando muitas fichas e mesas de poker personalizadas com a logo do aplicativo e ID do clube. O mercado pode crescer a partir do on-line, mas todos também querem uma experiência ao vivo. Os donos dos clubes on-line têm se tornado nossos parceiros e estamos muito felizes com isso”, disse Gabriel Castro, Diretor da Real Poker e da PokerWeb.

Quando falamos de jogo, segurança é sempre um fator importante e essa nova geração de aplicativos tem se demonstrado preocupados com isso. Existe uma função que restringe que pessoas próximas fisicamente sentem na mesma mesa on-line, além disso, os aplicativos que citados possuem certificado GLI. Isso garante que a distribuição das cartas é aleatória, sem manipulação do resultado do jogo.

O presidente da CBTH (Confederação Brasileira de Texas Hold’em) Ueltom Lima, comentou sobre o assunto. “Algumas pessoas pensam que existe um conflito entre poker ao vivo e poker on-line, mas isso é um grande engano. O poker on-line é uma grande entrada de novos jogadores”.

Para você que quer entrar nessa nova febre do poker. Neste link você pode fazer o download do aplicativo.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.