COMPARTILHAR

A sexta etapa do CPH, a penúltima de 2017, teve um roteiro marcado por várias reviravoltas no Dia Final, principalmente na mesa final. Gustavo Monteiro foi o principal personagem dessa história. Ele começou a grande decisão com apenas o segundo menor stack entre os nove finalistas, mas acabou como o grande campeão do torneio.

Natural de Ibiúna, interior de São Paulo, Monteiro precisou de uma grande arrancada e muita paciência para ficar com o troféu de campeão e uma bolada de R$ 115.000. Ele parecia não acreditar na vitória logo após confirmar o título. “É um momento indescritível. Eu sempre venho jogar o CPH e o máximo que eu peguei tinham sido duas mesas semifinais. Comecei short, mas no final deu certo. Estou muito feliz”, contou.

O field do CPH contou com incríveis 526 entradas e esse foi só mais um dos capítulos marcantes da vitória de Gustavo. Apesar de ser regular do circuito paulista, o próprio campeão reconheceu que esse foi o grande resultado da vida dele. “Jogo profissionalmente já faz uns três, mas não tinha nenhum resultado expressivo no live, só no online mesmo”, acrescentou.

A mesa final do CPH teve dois momentos bem parecidos. Quando ficaram seis jogadores e depois quatro, o jogo ficou mais travado e as eliminações demoraram para acontecer. Nessa hora, Gustavo soube se portar para se consolidar como um dos maiores stacks, em um cenário completamente diferente de quando começou a mesa final.

“Eu tentei crescer aos pouquinhos sem precisar dar showdown, pra quando precisasse ir all in, se eu perdesse, ter a chance de continuar bem no jogo”, explicou o campeão.

Gustavo viu o jogador Marcos Moreira, chip leader do Dia Final, eliminar o jogador Jamil “Zonka” na terceira colocação após um all in de muitas fichas de AJ para K8, em uma blind war. Com essa queda, Marcos começou o heads-up com uma vantagem de cerca de 2 para 1, mas acabou levando a virada.

A mão que começou a virada de Gustavo foi um all in pós-flop de AQ contra K3, após o flop mostrar AK7. O jogador de Ibiúna tinha feito uma 3-bet pré-flop. Depois que ele efetuou a c-bet, Marcos foi all in, levou instacall e turn e river não ajudaram. Depois dessa mão, não passou muito tempo e os jogadores foram all in de novo, agora com AJ de Moreira e AT de Gustavo. Um T apareceu na tampa e acabou com o duelo.

Apesar de ter levado uma bad beat dolorida na última mão, Marcos Moreira celebrou o resultado e lembrou da dificuldade de bater o field do CPH.

“Estou muito satisfeito. Chegar em segundo lugar entre esse tanto de entradas que teve o torneio é muito, muito difícil. Eu poderia ter foldado a primeira mão que ele dobrou, não dei A pra ele, e essa última mão faz parte”, lembrou. “No Dia 2, eu estava acertando tudo, o churrilho foi incrível. Hoje também, pena que essa última mão não segurou, mas eu considero que joguei bem”, avaliou Moreira.

Por fim, Gustavo Monteiro, o novo campeão do Campeonato Paulista de Poker, dedicou o título à namorada Marjorie, que acompanhou os últimos dois dias do torneio ao lado dele. A última etapa do CPH em 2017 acontece no mês de dezembro.

Para ver como foram todas as eliminações capturadas pelo MeBeliska, clique neste link.

Confira a premiação final da sexta etapa do CPH:

1º – Gustavo Monteiro – R$ 115.000**

2º – Marcos Moreira – R$ 70.000**

3º – Jamil Zonka – R$ 50.000**

4º – Leonardo Galiano – R$ 35.000**

5º – Vitor Pilon – R$ 25.000*

6º – Everton Lúcio – R$ 22.000*

7º – Rodrigo Possato – R$ 13.000

8º – Ricardo Valin – R$ 11.000

9º – Mike Ito – R$ 10.000

**reajuste de premiação no 4-handed

*reajusta de premiação no 6-handed

O H2 Club e o CPH são patrocinados pelo Bodog. Se você ainda não tem conta, clique aqui para abrir sua conta.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.