COMPARTILHAR
Gustavo Venâncio - SuperPoker Team Pro
Gustavo Venâncio - SuperPoker Team Pro

O mineiro Gustavo Venâncio se sagrou campeão do torneio do SuperPoker Team Pro da última terça-feira (16), realizado no partypoker. Com o feito, ele já pode ver a vaga na semifinal online um pouco mais de perto.

Natural da pequena Astolfo Dutra, no interior de Minas Gerais, o empresário de 41 anos pratica poker de forma recreativa, e comemorou bastante a conquista da terça-feira. Além da premiação do torneio, ele ainda somou pontos importantes para subir no ranking de junho.

Em entrevista, Venâncio contou sobre seu caminho no esporte da mente, que culminou até esse título. Ele confessou que precisou gastar apenas um buy-in de US$ 5,50 para cravar a competição. Agora, vai com tudo para alcançar a glória de ser o primeiro SuperPoker Team Pro do Brasil.

Clique aqui para conhecer o SuperPoker Team Pro

Para participar do SuperPoker Team Pro, não esqueça de criar sua conta nos sites parceiros (Bodog, Liga Online H2 Brasil e partypoker). Para depositar, conte com a segurança e rapidez da Trust Fichas. Além disso, utilizando o Slot Poker Pro você pode organizar seu grind de maneira simples, facilitando a participação nos torneios. O desafio também conta com apoio da Copag, referência em materiais para o jogo, que presenteará os campeões e classificados para a Semifinal. Confira a entrevista completa:

VEJA MAIS: Transmissão ao vivo do SuperPoker Team Pro terá trio de convidadas neste domingo

Qual é a sua trajetória no poker?
Conheci o poker através do filme “Cartas na Mesa”, que assisti no cinema por acaso, pois tinha ido ao shopping e encontrei um amigo que estava indo ver esse filme e acabei entrando junto. Não fazia nem ideia do que era poker, pois como bom mineiro só sabia jogar truco e cacheta. Confesso que não entendi as partes de jogo daquele filme, então depois que fui pra casa, passei uma semana pesquisando na internet como jogar poker, e no fim de semana seguinte eu voltei sozinho no cinema e assisti ao filme de novo.

Depois desse dia eu praticamente não parei de pesquisar, assistir pela ESPN às disputas da WSOP e tudo sobre o assunto. Porém não tinha muitos companheiros para jogar, então eu quase não jogava. Depois de muitos anos, ensinei tudo que aprendia para meus primos e amigos de Astolfo Dutra, onde fazíamos nosso Home Game. Em 2014, resolvi estudar o poker mais a sério fazendo alguns cursos e jogando online com mais consistência.

Há alguns anos, abriu o primeiro clube de Poker em BH, onde eu moro atualmente e pude aprender e praticar mais o jogo live. Meu maior torneio live que já joguei foi um realizado aqui no Mineirão em 2015. Depois disso, eu cheguei a organizar dois torneios no clube da minha cidade no interior, além dos Home Games. Eu jogo de maneira amadora ainda, apenas a noite, de três a quatro dias por semana.

VEJA MAIS: Luiz Bachega fala de oportunidade com o SuperPoker Team Pro: “Sonho da vida”

Qual foi a sensação ao vencer um torneio do SuperPoker Team Pro?
Foi uma sensação indescritível. Pois além de me credenciar a disputar uma vaga na semifinal, o evento estava sendo transmitido ao vivo pelo Vitão, Sequela e Sketch. Passei boa parte do final do torneio na direita do Sequela, que acabou ficando em terceiro.

Como foi sua trajetória no torneio?
Foi bem natural, jogando bem paciente, mantendo meu ritmo. Não cheguei nem a fazer rebuy. No meio do torneio cheguei a ficar curto um bom tempo, mas sempre me mantendo de 15 a 30 big blinds. Somente na mesa semifinal consegui acumular um pouco mais de fichas, me permitindo entrar na FT com mais conforto. Na FT tive altos e baixos até conseguir eliminar alguns oponentes e assumir a liderança.

Como você ficou sabendo do SuperPoker Team Pro? Por que aceitou o desafio?
Fiquei sabendo do desafio pelo Instagram no SuperPoker, que acompanho há muito tempo. Aceitar o desafio foi a parte mais fácil, pois eu estaria fazendo o que eu adoro e estou acostumado a fazer, dentro do meu bankroll e no ambiente que me sinto confortável pra jogar. Entrei no desafio para ganhar e poder seguir no caminho de profissionalização de maneira mais consciente. Nunca joguei nenhuma etapa de BSOP, apesar de acompanhar sempre as transmissões, mas ainda vou jogar.

VEJA MAIS: Gerson Ribeiro festeja classificação para a Semifinal Online do SuperPoker Team Pro: “Big hit”

Qual é a sua avaliação sobre o desafio até agora?
Na minha opinião, o desafio foi muito bem elaborado, permitindo todos terem a mesma chance mesmo que entrem na disputa no último mês. A chance de jogar a temporada de 2021 foi o que mais me motivou a voltar a estudar e jogar o meu melhor, mirando o prêmio máximo.

Gostaria de mandar um recado para seus oponentes?
Quanto aos outros jogadores, desejo a todos boa sorte. Sei que todos sonham, assim como eu, ser o SuperPoker Team Pro, e isso é bom para o crescimento do poker no Brasil. Não vejo os outros jogadores como inimigos, mas sim parceiros, que podem fazer elevar o nível do jogo no país. Acho que o Brasil já deixou de engatinhar no esporte e está sendo reconhecido e respeitado mundo afora pela qualidade dos jogadores. Quanto mais gente boa surgir, melhor. Apesar disso, vou fazer o possível para levar essa disputa.

O que você está esperando para fazer parte do SuperPoker Team ProClique aqui para se inscrever!

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.