COMPARTILHAR
Kelvin Kerber - PokerStars Caribbean Adventure
Kelvin Kerber - PokerStars Caribbean Adventure

Rotineiramente o craque Kelvin Kerber é assunto no mundo do poker devido aos constantes resultados nos principais circuitos live e nos feltros online. Desta vez, o profissional se tornou destaque depois de desabafar sobre a convocação da Seleção Catarinense de Poker para o CBPE, o Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes. Confira o post:

Post de Kelvin Kerber sobre a convocação da Seleção Catarinense de Poker
Post de Kelvin Kerber sobre a convocação da Seleção Catarinense de Poker

O profissional postou com a seguinte legenda:

“Essa é a seleção catarinense, se você não conhece ninguém eu também não. Depois de quatro anos sendo convocado, vivo meu melhor momento e ninguém sequer se deu o trabalho de me mandar mensagem. A Seleção Catarinense não tem Fabiano Kovalski, Geraldo César, Guilherme Cheveau, Bruno Volkmann, Camila Kons e nem eu. Se sempre desejei sorte ao meu estado, hoje sinto tristeza por saber que fui excluído por questões políticas”.

O currículo dos jogadores citados

Se analisar o desempenho recente dos profissionais mencionados por Kelvin, é notório o tamanho da perda para o time:

Fabiano Kovalski: possui mais de US$ 3,6 milhões em premiações nos feltros virtuais. Nas últimas edições do WCOOP e Powerfest, duas das principais séries do poker online, o profissional chegou ao título e conquistou um prêmio de seis dígitos. Além disso, o jogador ainda foi o melhor representante brasileiro na última edição do EPT Barcelona.

Geraldo César: o profissional está em um dos melhores momentos da carreira. Em março, o jogador chegou muito perto de quebrar um incômodo jejum para o poker brasileiro, mas ficou com a segunda colocação no ranking mensal do PocketFives, a classificação mais importante dos feltros virtuais. No final de 2018, ele ainda conquistou a principal honraria do poker online, a tríplice coroa.

Guilherme Cheveau: junto com Renan Bruschi, são os únicos brasileiros bicampeões do principal torneio do poker online, o Sunday Million. Em toda carreira, são mais de US$ 3,6 milhões em premiações nos feltros virtuais. Além disso, o jogador também possui títulos em grandes séries como a PowerFest e KO Series.

VEJA MAIS: WSOP divulga números parciais com quebra de recordes em 2019; confira

Bruno Volkmann: está na 19ª colocação no ranking mundial do PocketFives, sendo o melhor brasileiro. Foi o primeiro representante verde e amarelo a conquistar o bicampeonato no WCOOP. Além das conquistas nos feltros online, o profissional foi o melhor tupiniquim no Main Event do EPT Monte Carlo e conquistou quase US$ 700 mil com o vice-campeonato no MILLIONS South America, realizado em março deste ano.

Camila Kons: possui quase US$ 1,4 milhão em premiações nos feltros virtuais. No currículo, a jogadora possui título da PowerFest e uma reta final do Main Event Low do WCOOP em 2018. Na última edição, ela foi a representante feminina da Seleção Catarinense do CBPE.

Kelvin Kerber: somando os resultados no circuito live e no online, o profissional possui mais de US$ 4,5 milhões em premiações. Dentre as principais conquistas estão o título do Main Event e High Roller do BSOP, WCOOP, SCOOP e KO Series. Somente no PokerStars, são mais de US$ 600 mil de lucro em mais de 50 mil torneios jogados.

Repercussão

Não demorou muito e diversas pessoas começaram a comentar a publicação, criticando e apoiando o jogador.

O profissional Victor Pertile fez o seguinte comentário. “Existem jogadores melhores tecnicamente no estado? Sim. É de se repensar nas escolhas? Sim. Qual deveria ser o critério? Na minha opinião uma ponderação entre GPI (Global Poker Index) e PocketFives. No entanto, você não conhecer o Nicolas Reis (Duas mesas finais de Sunday Million, fora inúmeros resultados online) e não conhecer o Johnatan Oliveira, só reflete o quanto você vive nessa bolha Highstakes e Samba Team e não sabe nada nem sobre seu próprio estado. Infelizmente sua arrogância demonstrada nos comentários deixa a admiração pela tua capacidade técnica drawingdead no flop”.

O convocado Nicolas Reis também respondeu o profissional. “Achei que você me conhecesse, Kelvin Kerber. Enfim, prazer, Nicolas Reis, jogamos juntos pela seleção catarinense ano passado, não lembra?”.

Renan Bruschi, foi um dos craques que saiu em defesa de Kelvin. “Absurdamente bizzaro. Mal sabem como é importante pra nós esse campeonato que não vale dinheiro algum. Já fui injustiçado inúmeras vezes, estarei indo apenas pela terceira vez como jogador, faz parte”.

Profissionais como Peter Patrício, Ariel Bahia, Guilherme Chenaud, João Fera e Fernando Araújo foram outros que apoiaram Kelvin.

Leandro Burlamarqui foi outro que participou da discussão. “Eu conheço a maioria que está na foto, o Nicao, por exemplo (monstro), e o Dodô. Eu só acho que deveriam ter critérios objetivos na escolha de todas as seleções, a princípio penso em PocketFives e GPI, mas sei que isso é só uma utopia, no final das contas quem tem a caneta escolhe, ponto!”

A Federação Catarinense de Texas Hold’em

Confira o comunicado da convocação:

“Conheça a Seleção Catarinense de Poker que irá buscar o bicampeonato no torneio por equipes que acontece em São Paulo entre os dias 16 a 19 de julho.

O time está cheio de feras:
Começando pelo técnico Marcos Skorek, trazendo uma vasta experiência em grandes torneios.
Temos Matheus Grazziotin, segundo colocado no ranking geral do catarinense de 2018.
Nicolas Reis, vulgo Nicão, campeão catarinense 2017.
O campeão catarinense de 2018, Bruno Rodrigues Braga.
Johnatan Oliveira, mais conhecido como Dodô.
E para fechar essa grande seleção, Dona Vera, uma das mulheres que mais joga o catarinense de poker em 2018 e de quebra é a Mãe do jogador Dodô.

Boa sorte aos nossos atletas e que tragam o troféu mais uma vez para Santa Catarina”.

VEJA MAIS: Daniel Negreanu é o chip leader no Dia Final do Evento #41 da WSOP

Questionada sobre a ausência do campeão mundial Murilo Figueredo, o perfil da federação respondeu. “Temos muita ciência disso e orgulho do feito, sendo que o mesmo foi amplamente comentado na última etapa do catarinense, que aconteceu no mesmo dia do título do Murilo, porém critérios foram criados ano passado para a escolha da seleção deste ano, e não poderíamos deixar de seguir o procedimento amplamente divulgado. Contudo, não tenho dúvidas que o nome dele é mais que certo para a seleção do ano que vem”.

Em entrevista ao SuperPoker, o Presidente da Federação Catarinense de Texas Hold’em (FCTH), Marcos Skorek, falou sobre os critérios adotados. “A minha ideia desde que assumi o comando da FCTH é valorizar os jogadores que disputam de fato o CCP (Campeonato Catarinense de Poker). Por isso a condição básica pra fazer parte da seleção catarinense é participar do CCP”.

Perguntado se isso não prejudicaria os jogadores que jogam buy-ins mais elevados e por isso optam por não participar do evento, o dirigente concluiu. “Desde que o CBPE começou, a federação foi representada por jogadores do poker online, em sua maioria. Praticamente os mesmos jogadores. No nosso ponto de vista, isso é injustiça, não existe seleção permanente. Essa escolha tem que ser democrática e voltada para os jogadores que jogam o Circuito Catarinense de Poker”.

Desde a criação, a Seleção Catarinense de Poker junto com a Seleção Goiana, são as únicas que conseguiram a classificação para a fase final em todas as edições. Mas diferentemente dos goianos, a equipe da região Sul possui um título, conquistado em 2016. Em 2018, a equipe teve o pior desempenho da sua história, ficando na 12ª colocação, entre 20 seleções.

No início da tarde, Kelvin deletou o post e fez a seguinte publicação. “Minha intenção nunca foi ofender ninguém, pessoas se sentiram ofendidas, então peço desculpas. Ao longo dos comentários fui me irritando e comecei a ser grosseiro. Parabéns à aqueles, que com algum mérito chegaram lá”