COMPARTILHAR
Kelvin Kerber - BSOP Natal
Kelvin Kerber - BSOP Natal

A etapa do BSOP Natal foi logo na sequência de uma das maiores séries do PokerStars, o Spring Championship of Online Poker (SCOOP). Entre os jogadores que se destacaram na competição foi Kelvin Kerber, com diversos Dia 2 na versão mais cara do evento.

O catarinense disputou o título de campeão nacional até a última etapa, em 2016, mas a conquista ficou com Rodrigo “Zidane”. Após o bom início de ano, o craque anunciou em suas redes sociais que irá brigar pelo título do ranking até o final do circuito.

VEJA MAIS: Tá na mão: Alexandre Mantovani explica blefe na reta final do Dia 1B do Start Up

Em entrevista ao SuperPoker, um dos donos do Samba Team falou sobre a série online, a disputa do ranking, os resultados do time e o bom clima da etapa que está sendo realizada em Natal. Confira:

Você anunciou que irá disputar o ranking do BSOP, já traçou alguma estratégia?

A minha disputa pelo ranking se deu após a primeira etapa, em que larguei entre os quatro primeiros e na segunda etapa encerrei em segundo, praticamente empatado com o Paulo Gini em primeiro. Sobre estratégia eu já pensei sim. Já disputei o ranking uma vez, então sei mais ou menos como funciona, sabemos que temos que disputar o máximo de torneios possível, meio que tentando explodir em fichas mesmo, pois os torneios oferecem reentradas. Acho que a diferença desse ano para o que eu disputei, em que acabei saindo muito na frente, é mais a questão de experiência, vou me pressionar muito menos, estou mais leve e a vontade.

Kelvin Kerber
Kelvin Kerber campeão do High Roller do BSOP SP

A base do poker é a experiência, você acha que essa disputa acaba sendo uma continuidade do aprendizado?

Pode ser sim, quando você vive a mesma situação diversas vezes, acaba tendo mais frieza para tomar as melhores decisões no futuro. Conforme você vai vivendo aquela situação, a diferença que eu sinto é nos momentos muito cruciais, em que vou conseguir ser frio e tomar as melhores decisões sem pensar muito em que aquilo vai acarretar no ranking e tudo mais. Vou conseguir pensar qual é a melhor jogada e qual a jogada mais lucrativa para o momento.

Como você avalia a importância de uma parada do BSOP em Natal, que sai dos grandes centros e acaba tendo uma etapa mais família?

É uma etapa que acaba tendo mais jogadores recreativos. Eu já jogo o BSOP há seis anos, então mesmo não sendo profissionais, os conheço muito bem. É muito agradável vir aqui, acho que eles também se sentem mais a vontade, um clima mais amistoso e dá para ver que a maioria está com a família. Além de tudo isso, o lugar é muito legal de viajar, com bastante cultura local. O Brasil é como se fosse um continente, saio de Santa Catarina e venho para Natal, é como se eu tivesse viajando três países para frente, tem um choque cultural é muito divertido essas viagens mais isoladas, são as que mais gosto.

Kelvin Kerber - BSOP Brasília
Kelvin Kerber – BSOP Brasília

Recentemente teve a realização do SCOOP e você avançou para diversos Dia 2. Como você avalia o seu desempenho na série?

A série foi boa, acho que foi a série que eu mais passei para Dia 2, se não estou enganado foi um total de sete, sendo cinco ou seis em evento high, que são os mais difíceis. Foi a continuação de um trabalho, que já vem de tantos anos e também o próprio Samba Team teve uma ótima série, com diversos Dia 2 e mesas finais. Como um time, a série também foi muito boa é um momento que a gente trabalha muito, que focamos muito, abdicamos de qualquer coisa para estar ali rendendo todos os dias e foi gratificante.

Além do bom desempenho, o Samba Team teve um título na série com Gabriel Schroeder. Como foi você avalia o resultado final?

Tivemos diversas mesas finais, dois jogadores no Dia Final do Main Event Low, mas infelizmente não conseguimos colocar ninguém na mesa final, mas a gente sabe que é uma questão de variância também, estamos à mercê disso e existe um limite em que podemos fazer. Para eles também é um resultado do que eles fazem no dia-a-dia, chegando muito bem preparados, mais que a média dos jogadores. Então, é gratificante, porque nos tornamos muito amigos dessas pessoas, a gente trabalha diariamente juntos e criamos um carinho muito grande. Vê-los conquistando esses resultados, criando nome no cenário nacional é bem bacana.

Kelvin Kerber - BSOP Millions
Kelvin Kerber – BSOP Millions

O seu sócio Hélio Neves acabou caindo em uma das maiores bad beats da série. Qual foi a reação de todos vocês com a eliminação dele?

O Hélio fez uma série fantástica, foi algo impressionante. Eu trabalho com ele diariamente junto com o Fabiano Kovalski e Guilherme Cheveau, acabamos conversando muito sobre teoria, sobre o jogo em si, a rotina e os torneios. Sabemos que temos um ritmo forte e internamente sabemos que ele é um jogador diferenciado, para gente não foi nenhuma surpresa esses resultados. A bad beat que ele levou doeu um pouco na gente, pois como trabalhamos juntos, todos nós tínhamos um pedacinho do resultado, então acabou doendo ainda mais no coração (risos), porque pesou no bolso também. Apesar da bad beat, o que mais importa é sentirmos competitivos contra os melhores do mundo.

Abra a sua conta no maior site de poker do mundo clicando aqui.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.