COMPARTILHAR
Madson Moura - NPS Grand Final
Madson Moura - NPS Grand Final

No início do mês de dezembro, o mundo do poker presenciou uma das histórias mais fantásticas já escrita no esporte. O personagem principal foi Madson Moura, conhecido popularmente como “Urea”. O jogador foi o campeão do maior evento de poker da América Latina, faturando a incrível forra de R$ 1.244.790.

Para quem surpreendentemente não está relacionando o nome a história, “Urea” é um jogador profissional, que aprendeu a ler e a escrever por causa do poker, isso com 22 anos de idade. Na infância, Madson não teve a oportunidade de frequentar a escola para ajudar a mãe a cuidar da família. Até a juventude, o potiguar fez de tudo: aos oito anos já vendia doces e salgados na rua, trabalhou em vaqueja e cuidador de fazenda.

VEJA MAIS: Ivan Limeira estoura a bolha do High Roller do NPS Grand Final

Foi na fazenda que Madson conheceu o poker. Intrigado com o jogo de cartas, buscou mais informação para melhorar no jogo e descobriu os livros. Como não sabia ler e escrever, os primeiros conhecimentos foram assimilados com ajuda da esposa, que lia os livros de estratégia para ele.

Querendo evoluir, o potiguar decidiu aprender a ler e escrever para brilhar no mundo do poker. Toda essa história teve um capítulo final no dia 5 de dezembro, quando desbancou um field com 3.315 entradas e recebeu o prêmio milionário.

Madson Moura "Urea" - Campeão Main Event BSOP Millions
Madson Moura “Urea” – Campeão Main Event BSOP MillionsAntonio Madson Moura-Winner

Com os amantes do esporte da mente acompanhando todo o torneio pelo SuperPoker, a comunidade tomou conhecimento da sua história de luta e o país virou uma grande torcida pelo potiguar. “Eu fiquei muito emocionado, eu consegui comover o Brasil, a torcida me deu uma grande força, foi algo impressionante. Foi isso que fez tornar campeão do maior torneio de poker da América Latina”, e continuou. “Esse título não é só meu, é do Nordeste inteiro, pois tanta gente não só torceu como também me ajudou nessa batalha”.

Madson revelou que só conseguiu dormir após três dias e a ficha só caiu quando ele acordou e viu o troféu junto com o cheque do prêmio. “Quando abri os olhos e dei de cara com o troféu, que sempre foi o meu sonho, só faltava ele, já tinha troféu de outros circuitos, mas do BSOP ainda não. Ali eu vi que não era sonho, tinha sido real e agradeci a Deus.”, recordou.

VEJA MAIS: High Roller do NPS Grand Final distribuirá mais de R$ 170 mil

Além de história de luta na vida, Madson também não teve vida fácil na jornada no poker. Muitas vezes, o jogador viajou apenas com a passagem de ida comprada e sem dinheiro para comer e hospedar em um local. Sempre contando com amigos, o jogador conseguiu vencer esses obstáculos, mas em alguns momentos acabou dormindo no salão do próprio evento ou na sala dos dealers. “Graças a Deus, na maioria dos eventos eu conseguia conquistar alguns resultados e me virava por onde estava. Minha mãe sempre ensinou que fazendo o certo, as coisas retornavam para a gente. Fiz diversos amigos, que me davam teto e até mesmo comida, desculpa hoje são muito mais, são uma família”, revelou.

No próprio evento em que recebeu o prêmio milionário, o jogador tinha hospedagem até o Dia 3, mas a competição tinha um cronograma com cinco dias. “Eu fui junto com o Everton Bezerra, meu grande amigo. Como ele caiu, estava indo embora, mas disse que como estávamos hospedados, tínhamos a prioridade da reserva, mas o problema é que o valor era muito alto. Peguei minha bolsa e fui para o salão, se eu conseguisse a classificação para o outro dia, dava um jeito”, relembrou.

Então, surgiu mais um grande amigo para o ajudar. “No meio do salão, encontrei com o Douglas Lopes que me perguntou o motivo que estava com a bolsa, contei que estava procurando um canto para ficar e ele me cedeu o quarto dele, já que ele estava indo embora e a reserva era até o dia 6 de dezembro. A ação que ele fez, não tem dinheiro no mundo que pague, serei sempre grato por ele, pois fiquei em um quarto no mesmo prédio do evento. Que ele receba em dobro”, reconheceu Madson.

VEJA MAIS: Bruno Aguiar avalia temporada 2019 do Nordeste Poker Series e festeja história de Madson Moura “Urea”

O jogador falou de onde vem a inspiração para nunca ter desistido dos seus objetivos. “Minha mãe já sofreu de depressão, saiu dessa. Mesmo com esse problema, ela saia e lutava para o que dar de melhor para nós, não deixava faltar nada”. Quando ele venceu, uma das primeiras pessoas que ele conversou foi com ela. “Eu me emocionei com o título, mas quando falei com ela foi de outra forma, foi muito maior dar esse título para essa mulher batalhadora. Não realizei o sonho dela de me ver formado, mas acho que essa vitória é uma recompensa”.

A vitória do potiguar não irá mudar apenas a sua vida, a história irá inspirar diversas pessoas e ele reconhece isso. “Muitas pessoas vieram me dizer que vão voltar para o poker por causa da minha vitória, que eu as inspirei. Tem outros que nem sabiam o que era o jogo e já querem aprender, por ver minha história. Eu quero ver esse esporte crescer, quero ver ele cada vez maior, tem gente que acha que é sorte, que é coisa de vagabundo, não tem nada disso! Somos trabalhadores, que buscamos o nosso pão”.

O jogador falou que mesmo dias depois da conquista, diversas pessoas seguem o parabenizando pelo feito. “Eu nunca imaginei uma comoção tão grande. Recebi diversas mensagens bonitas, positivas e me trouxeram o bem, me fizeram ganhar força para buscar a vitória no torneio. Mas isso não ficará apenas no receber, também vou ajudar bastante gente, tanto no mundo do poker, como na vida”.

VEJA MAIS: Terceiro dia do NPS Grand Final contará classificatórios para o Main Event, decisão do High Roller e muito mais

Seguindo na linha de contribuir com a comunidade, Madson já tinha o plano de doar dez cestas básica em Umarizal, sua cidade natal, com a vitória ele disse que esse número irá aumentar e muito. “Era meu sonho de passar na minha cidade e ajudar as pessoas carentes, para não passar esse dia importante com fome. Mas Deus me iluminou e vou conseguir fazer de tudo para ajudar, eram dez e transformaram em 200”, revelou com um largo sorriso no rosto.

O Nordeste Poker Series é o primeiro evento que ele disputou após a conquista. Quando entrou no salão foi recebido com uma calorosa salva de palmas. Depois, a organização fez uma bela homenagem para o campeão. “Quero agradecer ao Bruno Aguiar e o Bruno Foster por ter feito tudo isso! Também para todos que estavam no salão e os dealers, pois a minha convivência maior era com esses profissionais, que são meus amigos”.

Madson Moura - NPS Grand Final
Madson Moura recebendo homenagem no NPS Grand Final

“Eu queria agradecer muito a minha mãe, que me ensinou a não mexer com coisa errada, que eu tinha que lutar pelo que era meu. Também a minha esposa Tamara Thaís, que no início, de certa forma me ensinou poker e também a ler e escrever. Sempre esteve comigo na melhor e na pior fase, uma mãe maravilhosa, que zela pelo meu menino. Pra mim, a coisa mais importante da vida é a família, ela e o Enzo Gabriel, meu filho”, dedicou.

Pra encerrar, o jogador revelou planos ambiciosos para 2020. “Eu vou me dedicar e quero disputar todas as etapas do BSOP, para tentar ser campeão nacional”, declarou.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.