COMPARTILHAR
Marcelo Cunha
Marcelo Cunha

Marcelo Cunha é daqueles jogadores que trabalham de modo árduo e “comem quieto”. Profissional há quase uma década, o jogador de 38 anos, pai de três filhos, diz que joga stakes baixos e faz muito volume. A maior prova desse estilo de carreira compromissado veio no final da Monster Series, a série que agitou o partypoker em outubro.

O piracicabano foi o vencedor do ranking Mid Stakes do festival e ganhou US$ 5 mil pelo feito. Para alcançar esse objetivo, Marcelo jogou exatamente 66 torneios e conseguiu entrar ITM em 29 deles. O ponto mais alto da trajetória foi o título do Evento #36, quando ele percebeu que poderia ser o campeão do ranking. Porém, a caminhada começou muito antes.

“Eu depositei US$ 200 no partypoker. Cravei cinco torneios de Omaha e ganhei dois tickets de US$ 27 pro Caribbean Poker Party. Foi quando eu descobri as promoções do ranking. Pulei para o de US$ 100, e depois para o satélite direto de US$ 1.000 e consegui a vaga e mais US$ 2.000 que caíram na conta. Assim, ficou fácil de jogar a série, os torneios tinham rebuy ilimitado e deu pra jogar todos com esse dinheiro e fazer os rebuys necessários. Foi um sonho esses dois meses no partypoker”, disse Marcelo.

O profissional teve um último dia excepcional, fazendo cinco ITMs em sete torneios disputados. Mesmo assim, ele teve que secar os dois adversários que poderiam ultrapassá-lo. Quando ambos foram eliminados e ficaram sem chances, foi motivo de muita festa para Marcelo Cunha, que joga online com o nick “NHONHOj6”.

“Fiquei acompanhando o último jogador. Ele queria o ranking, mas precisava fazer FT num torneio 6-Max. Ele ficava short e não caía, mas quando aconteceu foi a maior festa. Meus amigos estavam torcendo. Foi muito, muito legal. Fora os US$ 5 mil, tem a satisfação de cumprir o seu dever, cumprir o que tinha colocado como meta nessa série, que era cravar o ranking mid”, acrescentou.

Um fator determinante para conquistar o ranking, foi uma ajuda que ele teve para entender a fórmula da competição e a soma dos pontos. No final das contas, ele somou 3.442,79 pontos, pouco mais de 111 pontos que o vice-campeão “MarcoGambino”. Ele explicou a estratégia:

“Depois de ganhar o Evento #36, eu pedi pro meu primo fazer um Excel com as pontuações dos torneios. Eu sabia exatamente quanto cada um fazia no dia, como eu precisava jogar, o que eu precisava fazer. Isso ajudou principalmente nos últimos dois dias. Eu peguei um 9º lugar que eu fiquei short stack do 40º até o 9º, porque eu sabia que dava muitos pontos e eu encostava no primeiro lugar. Até assumi a liderança no penúltimo dia”, explicou.

Marcelo transmitiu todas as emoções através do Twitch. Dá para ver como ele se comportou e jogou durante a reta final. Por fim, o campeão do ranking médio da Monster Series deixou alguns agradecimentos.

“Quero agradecer ao Bruno, que é profissional de poker também, e ao meu primo. Também quem acompanhou a reta inteira pelo Twicht, que me incentivaram quando eu tiltava, mandando boas energias, me incentivando”, finalizou.

Conheça uma das maiores salas de poker online do mundo! Abra sua conta no partypoker.