COMPARTILHAR

A notícia de que a até então desconhecida Amaya Gaming Group fechou o acordo da compra da controladora do PokerStars e Full Tilt pegou boa parte da indústria do poker de surpresa na quinta-feira (12).

No acordo de compra, o valor da aquisição da Rational Group, da dona do PS e do Full Tilt, foi de US$ 4,9 bilhões. Em declaração em seu site, a empresa Amaya disse acreditar que a compra faça com que os sites tenham mais facilidade de entrada em regiões em que ela tem operações nos EUA.

Apesar de não mencionar como planeja trazer os sites de volta aos Estados Unidos, o acordo da compra em si sugere uma mudança significativa na direção da empresa. De acordo com o CEO da Amaya, David Baazov, "esta é uma aquisição transformadora".

Como parte do acordo, o fundador e executivo-chefe da Rational, Mark Scheinberg, e outros diretores da controladora da Rational, Oldford, deixarão seus cargos após a conclusão da transação. O pai de Mark, Isai Scheinberg, ainda enfrenta acusações criminais nos Estados Unidos relacionadas à Black Friday – dia em que o PS, o Full Tilt e Cereus (Absolute Poker/Ultimatebet) em 2011. Na época, o Departamento de Justiça norte-americano entendeu que os três sites teriam violado o UIGEA, decreto que proibia pagamento de apostas via internet validado em 2006.

Os sites interpretaram que a lei se aplicava aos jogos de azar, mas não ao poker.

De acordo com o New York Times, a quebra do vínculo com a família Scheinberg deve ajudar o PS a conseguir uma revisão do pedido de licença para operar em Nova Jersey. 

Em dezembro de 2013, as autoridades do estado suspenderam a revisão do pedido de licença por dois anos, sob a premissa de que ainda há acusações federais não resolvidas contra Isai Scheinberg.

Cláusula "Bad Actor"

Depois da Black Friday, em abril de 2011, Departamento de Justiça permitiu que coubesse aos estados decidirem sobre a liberação do jogo online em dezembro do mesmo ano.

Depois de Nevada, Delaware e Nova Jersey, Massachusetts, Pensilvânia, Califórnia, Illinois e Nova York começaram a se articular nos tribunais.

No entanto, os três estados que já permitem o poker online – Nevada, Nova Jersey e Delaware – por terem lobbies grandes na indústrial de jogos e cassinos, estabeleceram que a operação de sites do ramo deve estar dentro da cláusula "Bad Actor". Segundo a sentença, somente sites que não foram explusos na Black Friday podem oferecer o poker na web.

Portanto, o PS e o Full Tilt não têm previsão de operação nestes estados.

Nova York

Depois das conquistas de Nevada, Nova Jersey e Delaware, Nova York e Califórnia são apontados como os próximos estados a regulamentar o jogo na web. Contudo, ambos enfrentam a pressão de grupos de interesse em seus respectivos congressos.

No caso de Nova York, o poker online pode não ser liberado por conta da baixa arrecadação que o esporte vem mostrando nos estados autorizados. De acordo com a revista Forbes, o poker online está passando por um processo de maturação no qual o número de jogadores é crescente, mas os bancos ainda não têm total confiança nos sites e temem fazer transações financeiras quando um jogador está usando um aplicativo fora da fronteira do estado que permite o jogo.

Na melhor das hipóteses, caso Nova York libere o poker na web, será por meio do projeto de lei que tramita no legislativo local para o Texas Hold’em e o Omaha desde abril. O autor do projeto, o senador John Bonacic, é também o presidente do Comitê de Corrida, Jogos e Apostas – que é onde está a proposta para avaliação. A cláusula "Bad Actor" está na proposta de Nova York.

Pelo projeto que pode virar lei, os sites teriam que comprar uma licença de R$ 23 milhões (US$ 10 milhões) para operar, além de arcarem com uma taxa de 15% sobre a receita bruta com os ganhos.

Califórnia

Apesar de a Califórnia ser o estado com mais chances de ser o próximo a liberar o jogo online, a regulamentação é vista como fator prejudicial a outras indústrias do estado – como a de apostas em cavalos -, que se articulam em lobbies contra a liberação. Uma vez que 2014 é um ano de eleições na região, é pouco provável que o debate seja aprofundado.

Além disso, a "Bad Actor" também é debatida nas audiências públicas que vêm acontecendo no estado desde abril, o que dificultaria a volta do PokerStars e do Full Tilt caso a volta da permissão do esporte online seja aprovada.

Mesmo assim, a Rational anunciou uma parceria com um grupo de cassinos californianos para um software de poker online em abril, quando ainda era a dona do PS.