COMPARTILHAR
'Kenny Hallaert - partypoker Millions Grand Final Barcelona

O formato de reentradas ilimitadas é muito popular nos torneios do Brasil, principalmente em competições com grandes premiações garantidas. Isso auxilia que os eventos cheguem ao seu garantido inicial e que os jogadores tenham mais oportunidades de se inscrever no torneio.

A competição com reentradas ilimitadas acaba tendo uma dinâmica bem diferente do torneio freezeout, já que o jogador possui o direito de reentrar caso seja eliminado. Muitos jogadores acabam jogando de forma bem agressiva para acumular o maior número possível de fichas e avançar bem para o Dia 2 do torneio.

VEJA MAIS: WSOP: brasileiros avançam em peso no Dia 1B do Evento #34

Muitos eventos da WSOP inseriram este formato, o que acabou não agradando muitos jogadores, entre eles o November Niner de 2016 Kenny Hallaert, que junto com a sua carreira de jogador também é diretor de torneios.

Hallaert fez um post no Twitter e já ganhou quase 700 curtidas e mais de 100 retweets, além de diversos comentários apoiando o seu pensamento. Um dos jogadores que apoiaram o belga foi Doug Polk. Confira o post do jogador no Twitter:

“Eu gosto que haja tantos eventos acontecendo em Las Vegas durante a WSOP. Isso dá aos jogadores uma grande liberdade de escolha, se não há nada que queremos jogar no Rio ou se formos eliminados muito cedo de um torneio.

No entanto, eu não gosto que quase todos esses torneios tenham entradas ilimitadas. Eu acho que é bom para certos eventos, que garantem um prêmio muito grande, mas até mesmo os pequenos têm reentradas ilimitadas.

Eu posso ver isso da perspectiva das pessoas que os organizam, mas eu acho que muitos jogadores, especialmente os recreativos, não gostam muito desse formato. Ter que lutar o tempo todo com jogadores mais experientes e com bankrolls muito maiores os coloca em desvantagem. Também é muito mais provável que eles tenham que enfrentar uma competição muito mais dura nas fases mais avançadas do torneio e, a longo prazo, a economia do poker sofrerá com isso. Apenas 10-11% dos jogadores são pagos, com pagamentos muito pequenos e os prêmios muito maiores para o primeiro, isso também não ajuda.

O registro é aberto por um período de tempo que se torna mais lucrativo para o jogador se registrar no último momento, porque cada vez ele está mais perto dos prêmios, a ponto de o valor de uma pilha inicial ser maior que o preço do buy-in.

Eu sempre fui um defensor dos freezeouts, embora eu jogue torneios com reentradas e eu entre de novo, caso acredite que o valor é bom para mim. Freezouts são um grande desafio e uma forma mais pura de poker é jogada durante o período de inscrição.

Mesmo em festivais individuais, há muitas reentradas ilimitadas. Se esses torneios fossem freezeouts, haveria espaço para mais paralelos, mais vencedores e mais histórias felizes. Mesmo quando você se qualifica em uma das rodadas iniciais, você fica sem nada para jogar porque a sala está cheia por vários dias com dias 1 subsequentes .

Espero ver como esta tendência muda no futuro e retorna ao que era há uma década, mas acho que estou lutando uma batalha perdida”.

Mostrando que a tendência dos principais torneios está indo no caminho contrário do pensamento de Hallaert, o EPT, um dos principais circuitos do mundo, também inseriu a reentrada na reestreia do circuito. Esta mudança retrata que a tendência é que os torneios insiram as reentradas e cada vez menos utilize o Freezeout.

O que você acha do pensamento do belga? Concorda com ele?

A cobertura do SuperPoker na WSOP é patrocinada pelo Bodog e conta com o apoio do H2 Club e do BSOP. Clique aqui para abrir sua conta no Bodog.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.