COMPARTILHAR

Para marcar o final de ano e o início da próxima temporada, o SuperPoker vai realizar uma série para relembrar todos os campeões do BSOP em 2017. Foram sete etapas durante o ano, que aconteceram em São Paulo, Punta del Este, Recife, Foz do Iguaçu e Curitiba. Sete sonhos diferentes viraram realidades e grandes prêmios foram distribuídos.

O primeiro campeão da retrospectiva é Marcelo Mesqueu, campeão em Punta del Este. Relembre:

Marcelo Mesqueu é uma figurinha carimbada das etapas do BSOP, possuindo várias mesas finais e títulos da série. No BSOP Millions, por exemplo, ele foi o campeão do evento de Omaha com buy-in de R$ 5.000. No entanto, Mesqueu é daqueles que jogam mais pela diversão e alegria de vencer do que pelo dinheiro. Após muito insistir, o momento de glória dele finalmente chegou.

Ele superou as 784 entradas do Main Event do BSOP Punta del Este, saindo com o troféu, o bracelete de campeão e o prêmio principal de US$ 109.500. “O Main Event é uma coisa indescrítivel, até agora estou em êxtase, a família toda comemorando, só nos resta ser feliz e viver o dia de hoje como se fosse o melhor de nossas vidas e torcer para ter outras situações iguais a essa”, celebrou. “O Main Event é totalmente diferente dos eventos paralelos, eu já ganhei outros, mas o Main Event é surreal.”

O carioca começou a mesa final com o quarto maior stack e definiu uma estratégia de jogar mais sólido no começo, esperando a queda dos stacks mais shorts para soltar o jogo. Quando o torneio estava em 5-handed, ele passou a usar seu confortável stack para colocar pressão nos adversários. “A pressão do dinheiro deve ter influenciado um pouco no jogo e eles foram largando, fui de 3,5 milhões para 11 milhões. Depois no heads-up, comecei com 14 milhões contra 5 milhões, ele quase chegou a 8,5 milhões, eu fui perdendo muitas mãos”, explicou. “Eu senti que não era o meu momento e recuei, o pessoal falava para ser agressivo mas sabe quando você sente que não está bom? Daí segurei um pouquinho, deixei trocar o blind, acelerei e deu tudo certo. Ele foi me blefar com Q8, me pegou com KK e não tem vida fácil né, Q no turn e ainda a broca no river”.

Tendo realizado um dos grandes sonhos de sua vida, ele contou que agora mira um voo mais alto: o título de Campeão Brasileiro de 2017. Com a vitória, ele começa o ano no topo do ranking. “Sempre tive vontade de ganhar um BSOP Main Event, no poker sempre foi meu sonho”, afirmou. “Ano passado eu não tinha expectativa nenhuma de ranking e consegui chegar em 5º no de Omaha e 13º no geral, mesmo não jogando a etapa de Foz e, em São Paulo, joguei só um paralelo. Tive um gostinho de quero mais. Esse ano, largando dessa maneira, não tem fold. ”

A emoção não parou por aí. Mesqueu estava acompanhando da família, que não parou de fazer barulho a cada pote puxado por ele. Quando o heads-up contra o uruguaio Alejandro Cocenza foi concluído, ele pôde dar um abraço forte nos filhos e filhas, sua grande fonte de motivação. “Isso é a base de tudo. Eu me senti até mais na obrigação de ganhar, porque eles iriam cobrar”, comentou. “Meu filho, que me tem como ídolo, falou que eu ia ganhar um troféu, mas eu falei ‘primeiro objetivo é o Dia 2, segundo a mesa final, terceiro chegar entre os três e depois que chegar entre os três buscar o primeiro’. Deu certo, a família toda comemorando, ninguém saiu frustrado, isso que é o mais importante para nós.”

Na mão que definiu a vitória, Mesqueu ainda usou o feitiço contra o próprio feiticeiro. Ele beijou suas cartas, superstição que vinha dando certo para seu rival. “Ele tinha dado três beijos e os três all ins ele ganhou, pensei em fazer igual a ele, beijei e deu certo. A superstição maior foi quando eu caí na mesa (risos).”

FT BSOP Punta

Eliminações da mesa final:

8º lugar – Roberto Coradini – US$ 10.480
O primeiro a dar adeus foi Roberto Coradini, que ganhou a vaga para o evento em um satélite do PokerStars de apenas US$ 0,33. Com menos de dois big blinds, ele ainda encontrou um flip contra Martin Pinero, segurando 22 contra AJ do argentino. O board correu 4JT53, encerrando o conto de fadas de Roberto.

7º lugar – André Akkari – US$ 15.340
Em seguida, foi a vez do craque André Akkari se despedir do sonho de ser campeão do BSOP. Com cerca de 8 big blinds, ele se envolveu em all in contra Alejandro Cocenza, segurando AQ contra o 33 do uruguaio. O flop trouxe K58 e o 3 no turn deixou Akkari drawing dead. O PokerStars Team Pro ainda acertou a Q no river, mas não foi suficiente.

6º lugar – Fabian De La Fuente – US$ 21.360
A sexta posição ficou com Fabian De La Fuente, que sofreu uma bad beat. Com AK, ele viu Alejandro pagar seu all in com A7 e acertar um 7 logo no flop para ser o carrasco de mais uma eliminação.

5º lugar – Júpiter Michael – US$ 28.250
A próxima eliminação foi, com o perdão do trocadilho, de outro planeta. Com o board mostrando Q954, Mesqueu anunciou all in e Júpiter Michael pensou por alguns minutos antes de pagar e mostrar QT, bem atrás do AA de Mesqueu. Um 7 no river não mudou a situação e deixou a mesa com quatro jogadores.

4º lugar – Martin Piñero – US$ 35.660
Mesqueu foi também o responsável por realizar a eliminação que estourou a bolha dos troféus. Martin Piñero foi all in com A8 e recebeu o call do brasileiro, que tinha A6. Um 6 apareceu no flop para a alegria da torcida brasileira e o turn e o river não mudaram a situação.

3º lugar – Andres Piaggio – US$ 47.240
Andres Piaggio se deu bem nos flips e conseguiu se manter no jogo mesmo ficando short por diversas vezes. Mais uma vez com poucas fichas, ele foi all in de pouco mais de 3 big blinds com QJ e recebeu o call de Mesqueu, que abriu A7. O board correu 368T7 e estava formado o heads-up da primeira etapa do BSOP 2017.

2º lugar – Alejandro Cocenza – US$ 66.630
A mão da decisão dava a impressão que aconteceria sem sustos, mas como disse o campeão Mesqueu, “não tem vida fácil”. Ele estava bem à frente com KK contra Q8, mas uma dama apareceu no flop, que trouxe QT7 com duas de paus. Um seus de paus no turn deixou Alejandro com o flushdraw e a broca, mas um 5 de ouros apareceu no river, para a explosão da torcida brasileira no Enjoy Punta del Este.