COMPARTILHAR

Um torneio de poker realizado em um dos maiores templos do futebol mundial e R$500 mil em premiação garantida. Apenas isso já seria suficiente para aquecer a disputa no 888live, mas a rivalidade entre os dois maiores times mineiros acrescentou um ingrediente novo à mistura.

Camisas do Cruzeiro e do Atlético Mineiro podiam ser facilmente encontradas entre os jogadores, mas a união, que às vezes não acaba bem nos estádios, combinou perfeitamente com a competitivdade do poker.

Os amigos Lucas Lara (à esquerda) e Victor Adverse (à direita) fizeram questão de mostrar o amor pelos times no evento, mas também destacaram que o companheirismo supera as preferências futebolísticas. O alvinegro Lucas definiu bem o sentimento. "Poker é assim, a rivalidade entra só na hora da brincadeira. Quando acaba a brincadeira, é um torcendo pelo outro".

O cruzeirense Victor não poupou palavras para definir a emoção de jogar no Mineirão. "Estou jogando em casa. Eu cheguei aqui e fiquei até emocionado, porque já joguei muitos torneios mas nenhum assim, olhando para o gramado. Eu incentivo muito o poker mineiro, então achei o evento sensacional." 

O depoimento positivo de Lucas confirma que a estrutura montada agradou a gregos e troianos. "Está excelente, melhor estrutura que já vi aqui em Minas", afirmou com a propriedade de quem foi campeão da 1ª etapa do MPS (Minas Poker Series) esse ano.

O clima amistoso logicamente contou com as famosas falinhas, como é de se esperar em qualquer ambiente de poker. Perguntado sobre a sensação de jogar em campo rival, Lucas soltou a primeira. "Aqui não é a casa do adversário, é o salão de festas do Galo, quem levanta a taça é a gente. Tanto que um atleticano é quem vai cravar, por isso que já vim até fardado, para levantar o troféu".

Victor não deixou barato e respondeu à altura. "Pra mim o mais legal do poker é a competitividade, todos no torneio são meus adversários, as os atleticanos servem como um incentivo a mais. Nós já estamos acostumados a eliminá-los mesmo".

As provocações rolaram também nas mesas, com ambos os lados relembrando edições históricas do clássico mineiro. "Eu falei na mesa ali que a mão 92 eu tinha que jogar e eles falaram que A6 também não largam". A brincadeira se refere às duas maiores goleadas já registradas entre os dois times: 9×2 para o Galo em 1927 e o 6×1 aplicado pelo Cruzeiro em 2011.

Atleticanos e cruzeirenses uniformizados dividindo o mesmo espaço em paz e só preocupados em uma coisa: jogar seu melhor poker. O esporte da mente mostra mais uma vez seu poder de união nesse grande evento do 888poker.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

Concordo com os termos de uso e privacidade do SuperPoker, que declara não repassar os dados a outras empresas.