COMPARTILHAR
Samba Team - Futebol
Samba Team - Futebol

Assim como aconteceu no ano passado, a véspera do BSOP Millions contou com um desafio futebolístico entre os dois maiores times de poker do país: Samba Team e 4-Bet Poker Team. Se no ano passado o time do 4-Bet ganhou de 8 a 1, a disputa neste ano foi bem mais apertada, terminando em 5×4 para o time do Samba.

“O mais legal é que é a base que perdeu por 8 a 1 ano passado”, comemorou Kelvin Kerber, sócio-instrutor do Samba. “A gente sabia que a tinha perdido por uma questão física, um pouco de desorganização. Nesse ano decidimos levar a sério porque o que era uma brincadeira acabou virando motivo de chacota no ano passado. Estamos jogando toda semana, então acaba criando entrosamento, ritmo de jogo, o 8 a 1 ainda vai ficar marcado, mas pelo menos neste ano conseguimos ganhar.”

Após a goleada do ano passado, este último jogo contou com muito mais emoção, terminando em 5 a 4 para o Samba, com um gol nos últimos minutos do confronto. “Devolveram naquelas, ganharam por um gol, deram sorte”, brincou Will Arruda, um dos sócios do 4-bet. “Brincadeira, os caras jogaram melhor desde o começo, abriram 3 a 0, depois equilibramos mas no final tomamos o gol. Todo mundo é amigo, estamos sempre juntos, conversando, não tem rivalidade não.”

Samba e 4-Bet se cumprimentando após o jogo
Samba e 4-Bet se cumprimentando após o jogo

“A gente aprende com o poker uma coisa que muito analista no futebol não sabe, que é o fato que existe muita variância no futebol”, comentou Marcos Skecth, sócio-instrutor do 4-Bet. “A gente deu azar, aquele AA x 22 e bateu o 2 dos caras. No ano passado eles deram um pouco de azar também, fizemos o gol e embalou, neste ano eles fizeram dois gols em um minuto de jogo, então ficou difícil. O que importa é que no placar agregado está 13 a 7, para mim é isso que vale.”

Poucas horas após chegar à mesa final do Sunday Million, Peter Patrício, o “Pitão”, também marcou presença na quadra. “É muito bom ganhar, eu não gosto de perder em nada”, comentou. “Sem menosprezar ninguém, mas o time do ano passado era atípico, a gente chamou muita gente que eu acho que nunca tinha chutado uma bola (risos). Nesse ano escolhemos um time direitinho ali e deu bom, estou feliz.”

Em um duelo disputado, marcado pelas torcidas apaixonadas e pelo tom de descontração após a peleja, a certeza foi apenas uma: se não fossem bons jogadores de poker, os envolvidos teriam que encontrar uma outra profissão, pois o sonho de ser jogador de futebol não é uma possibilidade para a maioria.