COMPARTILHAR
O Baralho da NASA e um ano do Pocket Poker
O Baralho da NASA e um ano do Pocket Poker

Por Flora Dutra 

Você já pensou em jogar poker em Marte? Você já sonhou que estava pagando na broca numa Estação Internacional Espacial? Você já trincou na gravidade zero? Seria capaz de blefar na baixa atmosfera terrestre? Apostaria suas fichas na Lua? Faria uma reta até o Sol? Perguntas sem sentido para muitas pessoas; para algumas, inimagináveis; para mim, questionamentos comuns.

Muitos de vocês que estão conectados comigo nas redes sociais sabem da minha pesquisa sobre exploração espacial e Astrobiologia, e como adoro ligar isso ao jogo. Alguns acham loucura, outros acham interessante; há os indiferentes e os desinteressados, e há os que leem até o fim para saber qual é. Para os que ficam, esta é uma coluna especial, de aniversário e reflexão – sobre a vida, o universo e o poker.

VEJA MAIS: Grinder e mãe: MenininhaMah fala sobre a maternidade recente

Há um ano, eu escrevia o primeiro texto de uma série de ensaios e entrevistas com mulheres envolvidas no universo do esporte da mente. Lembro-me que meses depois, lendo o primeiro título, fiquei surpresa com o que vivenciei e senti, mês após mês; o peso da responsabilidade aumentava. Há um ano, eu queria “(re)construir o cenário feminino do poker no Brasil”. Um pouco pretensioso de minha parte, talvez, já que eu era uma aspirante a grinder que descobria os bastidores e tudo que envolvia o jogo: pessoas, times, pesquisas, empresas, grupos e redes.
E aí o universo se abriu e eu me apaixonei de vez! Como antropóloga e jornalista, trabalhar com pessoas é meu chão e poker é pessoa! Saber do universo do jogo era como descobrir novos caminhos também na minha pesquisa de doutorado, que aproxima pessoas da ciência que busca pela vida no universo, a Astrobiologia. A partir daí, muitas redes foram conectadas. Eu passei, ainda, nestes últimos meses, pelo Samba Poker Team, e minha imersão foi incrível! Serei sempre grata aos meninos pela oportunidade de acompanhar mais de 300 jogadores em suas altas performances. Esse foi um dos campos de estudo mais motivacionais e de aprendizado que tive o privilégio de participar. Neste último ano, escrevi também sobre mulheres grinders, recreativas, publicitárias, influencers, cineastas, escritoras, empresárias e mães amantes do poker em seus mais variados estilos – live, online, com amigos, campeonatos, home games, etc. Também escrevo o que sinto e espero continuar assim.

VEJA MAIS: Ladies no H2 Club São Paulo: Luana Alves e nossas redes de apoio conectadas

Eu já contei aqui que criar conteúdo sobre poker foi minha saída para enfrentar a perda do meu pai; o poker me deixa feliz de diversas formas. E ele também irá ajudar a enfrentar o tratamento da minha mãe. Essa semana lembrei-me da Regina Cassab e de quando conversei com ela sobre a superação do câncer; aprendi e me reconheci muito nela, como em todas as outras mulheres que conversei. Um ano depois da partida do meu pai, tenho de enfrentar mais uma batalha com a minha mãe, e estou aqui, lutando.

Astrobiologia e Poker fizeram parte desse último ano da Flora Dutra
Astrobiologia e Poker fizeram parte desse último ano da Flora Dutra

Poker é superação, seja do jeito que for, e a minha experiência até agora tem sido assim, como de todas as mulheres que passaram pelo Pocket Poker. Nas últimas semanas, tenho feito um trabalho de reflexão sobre meu papel aqui; o papel que exerci no Samba de acionar a divulgação científica em diversos momentos; o papel que quero exercer como editora do Pocket Poker, trazendo a liberdade de imaginação, tipo o livro que inaugurou o realismo fantástico, um dos mais incríveis da minha vida e herança do meu pai O Despertar dos Mágicos, leiam (Louis Pauwels, Jacques Bergier). Sempre darei o melhor de mim para esta comunidade, como dou o melhor de mim para minha família e minha pesquisa. Na imensidão de trilhões de galáxias estamos aqui, neste pálido ponto azul, unidos em um único propósito: amar para sempre o poker.

VEJA MAIS: Acho que iniciamos uma revolução passada, pois tínhamos saudade do futuro

Eu demorei semanas para conseguir vir aqui e dizer que estive ausente, que pensei em desistir, em nunca mais voltar. Chorei muito, mas decidi criar, e não desistir. O poker está além de regras, cartas, pessoas, rotina, enfermidade. Poker é algo que te faz querer viver, amar e se entregar! Por isso não posso desistir, está na minha alma e nos meus sonhos. No momento mais difícil da minha vida que foi, até hoje, a perda do meu pai, eu criei a coluna Pocket Poker. No segundo momento mais difícil da minha vida (que passará), eu criei o site Pocket Poker, um desdobramento da coluna. Ele está sendo construído, pois, neste momento de superação, preciso continuar, e ter o contato com vocês é fundamental. Vocês me dão retorno sempre, obrigada pelo carinho de todo mundo, sou grata por cada palavra de incentivo ao longo deste ano.

Conheci e continuo conhecendo pessoas incríveis que fazem parte do universo do poker; e da vida, de algumas já sinto falta. Carl Sagan dizia que quando pensamos bem, nos sentimos bem. Einstein dizia que a imaginação é mais importante que o conhecimento. E eu me sinto bem quando penso em poker porque minha imaginação está além do conhecimento “técnico”, por assim dizer. O que estou construindo com o site, que será lançado em breve, é por amar a comunidade e acreditar no poder da imaginação. Artistas visuais criam mundos possíveis além da Terra, e lá estão as cartas! Lá está o poker! Lá estamos nós! O site será uma homenagem à minha mãe e a esse período que passaremos juntas! O Pocket Poker terá várias editorias e vocês poderão esperar temas como History, Science, Movies, Review, Women, Fashion&Art, People, Poetry, etc. O Pocket Poker não é para cumprir demanda nem ser concorrência de ninguém. É uma contribuição minha e do coletivo, que colabora comigo de todas as formas, para agradecer o tanto que vocês me proporcionaram conhecer e ainda querer estar aqui, com vontade de imaginar o poker e nossas vidas juntos em outros mundos possíveis, além deste aqui.

VEJA MAIS: Mulheres negras e a representatividade no poker brasileiro

Por fim, quero agradecer a toda equipe do SuperPoker, em especial ao Vitão, Josi e Grilo pelas contribuições, palavras e incentivos desde o começo. Sem vocês não estaria aqui neste espaço e não continuaria neste universo; vocês é que são as verdadeiras estrelas. Quero deixar público meu agradecimento ao Samba Poker Team por me proporcionar a imersão no online do game. Foi através deles que a pesquisa científica apareceu de forma evidente para minha inspiração; sinto saudades de todos. Também vou deixar meu abraço para a Liga Brasileira Feminina de Poker, o meu refúgio de todas as horas e anseios. Muitas delas contribuíram de diversas formas para que o site tivesse energia, incentivo e se expandisse.

Depois de um ano, estou renovando meus votos de amor ao poker e estarei mais seguidamente aqui com vocês; a coluna aqui no SuperPoker será mensal. GL para quem ganhar meu baralho de estimação da NASA. A pessoa poderá ver Quasar, Mercury, Mars Rover, Sun, Milky Way, Little Ghost Nebula, Tarantula Nebula, Moon, Saturno, Jupiter, Butterfly Nebula, entre outras imagens nos quatro naipes, é um espetáculo. Até a próxima, estarei no break de Vênus cuidando da minha mãe e buscando sempre pela vida e pelos melhores spots no universo! See Ya!

Confira o último episódio do Pokercast:

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

    Você concorda com os termos de uso do SuperPoker, que utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e armazena os seus dados acima solicitados sem finalidade comercial apenas para comunicação direta com você e acesso aos serviços do SuperPoker. Você pode solicitar a remoção dos seus dados pessoais do SuperPoker a qualquer momento.