COMPARTILHAR
Michael Robionek - PokerStars Players Championship
Michael Robionek - PokerStars Players Championship

Quando o PokerStars Players Championship estava próximo à bolha, uma mão chamou atenção por trazer um slowroll, uma das maiores quebras de ética do poker. Segurando AA, Michael Robionek pensou cerca de dois minutos antes de pagar um all in pré-flop, sendo o último a agir.

No showdown, ele estava enfrentando o KK de Franz Ditz e conseguiu segurar para eliminar o adversário, que obviamente não ficou contente com o slowroll sofrido. No entanto, após o estouro da bolha, a cobertura do PokerStars revelou a justificativa de Robionek.

VEJA MAIS: Após sufoco no flop, Pedro Padilha acerta river e elimina adversário no PokerStars Players Championship

Até a entrada no PSPC, ele possuía apenas €80 em prêmios ao vivo na carreira, jogando apenas freerolls online no PokerStars. Após conquistar o Platinum Pass em uma promoção da sala no Twitter, ele até pediu dinheiro emprestado para viajar para as Bahamas, pois está desempregado há dois anos.

Ou seja, os US$ 25.450 da primeira faixa de premiação significavam mais para Robionek do que para a maioria do field restante. Assim, os dois minutos que ele pensou para pagar não foram um slowroll, mas sim um conflito interno genuíno sobre arriscar ser eliminado e sair de mãos vazias.

Ele pediu para que a informação não fosse revelada antes do estouro da bolha para evitar que outros oponentes se aproveitassem da pressão financeira sobre ele. Agora, Robionek é só sorrisos. Com 29 jogadores left até a publicação desta matéria, ele já garantiu US$ 105.000.

Sabendo da história do recreativo, você acha que o slowroll foi justo? Opine!

Abra a sua conta no maior site de poker do mundo clicando aqui.