COMPARTILHAR
João Maureli
João Maureli

Apesar de não ter alcançado o título do Evento #5 Championship do World Poker Tour World Online Championship (WPT WOC) no partypoker, o gaúcho João Maureli fez história. Enfrentando grandes nomes do esporte mundial, o jogador, que divide as obrigações de sua profissão com o sonho de ser profissional de poker, conseguiu a vaga no torneio por apenas US$ 22 e alcançou a terceira colocação na competição, levando US$ 174.510.

“Uma expectativa muito grande, esse seria o torneio de buy-in mais alto que eu irar jogar, o mais próximo disso foram alguns BSOP’s”, falou o jogador sobre a expectativa com a competição.

VEJA MAIS: Brunno Botteon sobe ao pódio do WPT 8-Max Knockout

João revelou que o torneio escolhido foi muito bem pensado. “Resolvi escolher o formato de bounties, pela chance muito maior de eliminar um jogador e já ter uma recompensa, eu sabia que seria muito difícil chegar em ITM pelo field duríssimo que iria enfrenta”.

O gaúcho conheceu o poker em 2008 e em 2014, entrou em um time de poker, buscando melhorar no jogo. Em 2019, colocou como meta ser profissional, buscou um time de poker e ingressou no Step Team, por quem o jogador mostrou muito carinho. “De todos os times que já atuei, foi o que me senti mais em casa. Hoje, pretendo seguir minha carreira jogando aqui, quem sabe um dia me tornar sócio e poder viver só do poker”.

Durante a decisão, os companheiros de time abriram uma streaming para torcer por João. Após o fim do torneio, o jogador reviu a transmissão. “Confesso que me emocionei quando vi a galera vibrando e torcendo por mim, foi uma sensação única na minha vida. A corrente positiva que essa galera passou mostrou como esse time é unido. Quero agradecer demais a todos do Step Team pela compreensão e pela confiança. Em especial ao [Thiago] Grigoletti que me deu mais de uma oportunidade e acreditou no meu trabalho”.

VEJA MAIS: Gabriel Merenda domina mesa final e é campeão do Evento #5 Micro Championship do WPT WOC

Na entrevista, o jogador também falou como foi enfrentar grandes nomes do circuito mundial, o planejamento para a sequência da carreira e os sonhos. Confira:

Após vencer o torneio e levar o ticket de US$ 3.200, como foi a expectativa para o torneio?

Uma expectativa muito grande, esse seria o torneio de buy-in mais alto que eu irar jogar, o mais próximo disso foram alguns BSOP’s. Resolvi escolher o formato de bounties, pela chance muito maior de eliminar um jogador e já ter uma recompensa, eu sabia que seria muito difícil chegar em ITM pelo field duríssimo que iria enfrentar.

João Maureli e o filho
João Maureli e o filho

Qual foi a sensação de enfrentar nomes de peso do poker mundial?

Toda mesa que eu chagava, buscava saber informações de todos os players que ali estavam. Toda mesa só tinha cara bom. Jogadores de Super High Rollers, Big One Drop, só regular high stakes bom, e eu ali no meio perdido (risos).

Você sentiu que precisou fazer adaptações em seu jogo?

Essa era a minha grande dúvida quando comecei a jogar o evento, como eu iria me adaptar, só que com o andar da carruagem eu percebi que estava jogando o meu jogo, aplicando tudo aquilo que havia aprendido até aquele momento. O jogo foi fluindo ao naturalmente.

Como foi lidar com a parte psicológica de ter tanto dinheiro em jogo?

Para que isso não me atrapalhasse tanto psicologicamente, eu dividi o evento em metas:

Meta 1 – Eliminar um jogador e capturar os bounties.

Meta 2 – Eliminar mais de um jogador.

Meta 3 – Passar para o dia 2. Até aqui as coisas funcionaram bem.

Metas conquistadas passando com 65bbs para o segundo dia de competição.

VEJA MAIS: Thomas Nelz é vice-campeão do Evento #5 Championship Mini do WPT WOC

A partir daí os problemas começaram, a noite foi muito mal dormida, as metas já não estavam mais tão claras, o psicológico já não estava mais tão bom. Veio o Dia 2 e no primeiro spot que me envolvi, perdi 30bbs, minha esposa que me acompanhou durante todo o evento só dizia para eu esfriar a cabeça e focar. Foi o que eu fiz, foquei e segui firme.

Você tem alguma mão marcante na trajetória?

Quando restavam 27 jogadores a ficha começou a cair e a pressão começou a subir. Já 20 left, me envolvi em um spot que me colocou no jogo de vez. Com 60bbs, abro dois blinds do UTG com AA.

Quando eu abri essa mão, parece que eu já sabia tudo que iria acontecer: o Martin Jackbson estava na minha esquerda com 6bbs e um bounty de US$ 15 mil shovou, Luis Faria com AKs shoveu por cima com stack maior que o meu. Segurou, além das fichas, teve o bounty, pra mim foi a mão do torneio.

Segui muito bem na Semi FT apertando meus adversários, era para ter passado muito melhor para o Dia Final, por incrível que possa parecer, não ganhei nenhum flip mas passamos para a mesa final chip leader.

VEJA MAIS: Leocir Carneiro sobe ao pódio do WPT Knockout Second Chance Mini

Conseguiu dormir entre o Dia 2 e a mesa final?

A noite anterior a mesa final foi impossível de dormir, fiquei refazendo spots na minha cabeça a noite toda. Como chip leader, comecei bem a mesa final, continuei sólido e soltando o braço, mas tinha muita gente boa naquela mesa final. Coloquei uma outra meta que era pelo menos tentar chegar em terceiro lugar, se o título viesse seria muito bem vindo, é claro. Acredito que cometi alguns erros na mesa final até pela pressão gigantesca que estava sentindo, mas no conjunto geral, acho que o meu desempenho foi muito bom.

João Maureli
João Maureli

Como foi ter companheiros de time transmitindo e torcendo por você?

Depois que acabou o evento, fui assistir a transmissão da mesa final narrada pelo BigFat (Olívio Gontijo). Confesso que me emocionei quando vi a galera vibrando e torcendo por mim, foi uma sensação única na minha vida. A corrente positiva que essa galera passou mostrou como esse time é unido. Quero agradecer demais a todos do Step Taem pela compreensão e pela confiança. Em especial ao [Thiago] Grigoletti que me deu mais de uma oportunidade e acreditou no meu trabalho.

Quais seus principais objetivos no poker?

Meu objetivo principal é poder viver só do poker, mas como tenho família e um padrão de vida sólido, ainda tenho algum caminho a percorrer até isso se tornar realidade, mas creio que após o WPT o primeiro passo foi alcançado. Segundo passo é agarrar as novas oportunidades que iram aparecer dentro do Step Team, seguir caminhando até conseguir virar a chave, deixar de ser semi-profissional e me tornar profissional.

VEJA MAIS: Yuri Martins faz mesa final do WPT Knockout Second Chance

Quer deixar um recado e oferecer a alguém o resultado?

Um recado para aqueles que dizem que não acreditam que a pessoa possa trabalhar e jogar poker, está aí o meu exemplo, é possível sim, basta querer e se dedicar ao máximo. Para finalizar, quero agradecer especialmente a minha esposa, que sempre esteve ao meu lado me apoiando, acredito que sem o apoio dela nada disso seria possível. Obrigado, meu amor! Daiane Maureli.

Para consultas e atendimento personalizado em seu idioma, contate [email protected] ou fale com o nosso Call Center no Whatsapp no seguinte telefone: +55 22 99226-5006 de 10h às 22h (horário de Brasília).

Ainda não tem conta no partypoker? Crie agora a partir deste link.

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.

    Você concorda com os termos de uso do SuperPoker, que utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e armazena os seus dados acima solicitados sem finalidade comercial apenas para comunicação direta com você e acesso aos serviços do SuperPoker. Você pode solicitar a remoção dos seus dados pessoais do SuperPoker a qualquer momento.