COMPARTILHAR
Fabrício Vinagre, campeão do Ranking PPST - PPPoker
Fabrício Vinagre, campeão do Ranking PPST - PPPoker

O último dia 30 marcou o fim da temporada do PPST (PPPoker Super Tournaments). Com isso, o Ranking PPST, disputado desde o início de 2020, conheceu o seu campeão. É o paraense Fabrício Vinagre, que teve grandes campanhas nas mesas do PPPoker e terminou no topo do pódio.

O ortopedista, que pratica poker de forma recreativa desde 2011, acumulou 6.170 pontos e alcançou a premiação do Ranking. Com o título, ele garantiu um pacote de viagem no valor de R$ 25 mil a qualquer torneio de poker que escolher, no qual representará o PPPoker. Confira o top 5 do Ranking PPST:

1. Fabrício “FUTPOKER” Vinagre – 6.170,50 pontos – R$ 25.000
2. Eduardo “ArielBainha” Castro – 5.895,65 pontos – R$ 15.000
3. “rafaelrodriguez” – 4.184,53 pontos – R$ 10.000
4. “davisfb” – 4084,84 pontos – R$ 7.000
5. Éverton “BalroGG” Becker – 3.981,76 pontos – R$ 5.000

Em entrevista, Vinagre, que comanda o nick “FUTPOKER”, demonstrou entusiasmo com o prêmio e já pensa em realizar sonhos. Durante o semestre, o jogador de Belém (PA) teve resultados importantes, que foram essenciais para a conquista do Ranking. A principal delas foi a cravada no torneio de R$ 3 milhões garantidos, além de mesas finais em torneios de 500K e 100K.

VEJA MAIS: Rafael Bryan Oliveira crava SHR de Pot-Limit Omaha 5 cartas do PPST e leva R$ 335 mil: “Alívio e felicidade”

Vinagre confessou que essas conquistas trazem boas lembranças, mas também guarda outras campanhas com carinho. A disputa foi acirrada e emocionante até o fim, e o jogador brigou nos detalhes para terminar em primeiro. Confira a entrevista na íntegra:

Conte a sua história no poker.
Indo bem lá no fundo, minha história com o poker começou ainda quando criança, vendo meus pais jogarem aquele poker bem tradicional. Ali eu já aprendi as regras básicas, a sequência dos jogos. Eu não jogava, mas peruava bastante e já achava legal.

Em 2010, eu morava em Recife, estava fazendo residência em Ortopedia, alguns médicos se reuniam com outros amigos e então eu comecei a frequentar. Lá eu ainda era o pato ou o fish da mesa, mas desde lá nunca parei de jogar e de buscar melhorar a cada dia. Hoje em dia sou louco pra reencontrar aquela turma.

Em 2011, eu retornei para Belém, e me reuni com alguns amigos para montarmos um Home Game. Ele existe até hoje, uns entraram, outros saíram, ele foi mudando de nome, mas existe até hoje. Atualmente ele se chama Padaria, pois em sua maioria os players são “uns sonhos”, mas começou se chamando Péssimos, passou a Valentões depois a Valentios até chegar ao formato atual. Super organizado, com ranking, programação trimestral, premiações etc. Sou o atual campeão do ranking da PADARIA, com muito orgulho. Mencionar toda essa turma é fundamental para mim pois eles acompanharam de perto toda essa trajetória e essa disputa, e também torceram bastante.

VEJA MAIS: Liga SuperPoker entrega grandes forras nos principais torneios dessa quinta-feira; confira os campeões

Como foi a sua trajetória nesse semestre para alcançar o topo do ranking? Participou de muitas competições?
Eu já jogo regularmente no PPPoker há dois anos, a plataforma e os torneios só melhoraram nesse tempo. Hoje é a principal plataforma de poker onde eu me dedico, então eu já jogava de forma regular os principais torneios da noite e aos domingos, mas não estava ligado no ranking, inicialmente não pensava nisso.

Até que comecei a ter grandes resultados nos principais torneios. Fiquei entre os 30 primeiros em um torneio de 500K de domingo, em seguida fiquei em quinto lugar no 500K do outro domingo, e umas duas semanas depois veio a grande cravada e no maior torneio, pagando 3M. Fiquei em primeiro e puxei 525K de premiação.

Aí o negócio ficou sério, assumi a liderança do ranking e daí para frente passei a jogar de forma mais regular ainda. Mas foi dureza, passaram a ter muito mais torneios válidos pelo ranking do PPST e muitos adversários fortíssimos disputando. Uma verdadeira maratona. Cheguei a ser ultrapassado pelo “ArielBainha”, que obteve também excelentes resultados. Ele chegou, inclusive, a abrir uma grande distância quando cravou um High Roller, mas segui acreditando e consegui virar com dois bons resultados, fui quarto lugar no 200K e terceiro lugar em outro HR 500K.

A disputa foi até a madrugada do último dia. Eu caí dos torneios que estava disputando e o “ArielBainha” seguiu bem em dois torneios, fez uma boa pontuação, encostou, mas consegui segurar. Foi emocionante.

VEJA MAIS: Gustavo dos Santos crava torneio do PPST e leva forra de quase R$ 245 mil: “Trabalho concluído com sucesso”

Tem algum torneio que você lembre com mais carinho, alguma performance mais relevante?
Com mais carinho, com certeza foi o 3M. Era o Main Event do domingo, foi meu principal resultado até hoje e não é todo dia que conseguimos um resultado desses. Agora, em relação a performance, a mais relevante foi em um torneio que nem me trouxe tantos pontos pois acabei caindo em 14º, mas foi um HR que dominei desde o início, construí um grande stack, ganhei muitos bounties. Ali acho que joguei o meu melhor jogo, infelizmente perdi a maior parte do stack que construí em um cooler que me tirou o sono. AA x KK, não teve como escapar. Mas eu queria ter cravado aquele torneio, estava sendo uma performance irrepreensível.

Qual é a sensação de ganhar esse prêmio e representar o PPPoker?
A sensação de vencer o ranking do PPST é fantástica. Hoje, os principais jogadores estão ali disputando, é muito duro. Representar o PPPoker será uma honra, espero dar o meu melhor.

Em algum momento, você sonhou com o título do ranking do PPST?
Passei a sonhar com essa conquista todos os dias desde que vi que era possível. Parecia muito distante, mas a medida que os dias foram passando, passei a acreditar cada vez mais.

VEJA MAIS: Em domingo histórico, principais torneios no PPPoker distribuem R$ 5,4 milhões em premiações

Já tem planos para usar o prêmio? Sabe em qual evento vai participar?
Com a pandemia e tudo parado por causa do coronavírus, acabou que não pensei como utilizar o prêmio, mas certamente um grande torneio internacional. Jogar um WSOP seria um sonho realizado. Ganhar um bracelete então, seria incrível, já pensou?

Quer dedicar essa conquista a alguém?
Quero sim. Primeiramente à minha esposa, a Flavinha, que acompanhou toda essa maratona e sempre me apoiou. Se a esposa não apoiar, o cara não chega! Aos meus amigos do grupo “FUTPOKER”, que fecharam comigo em toda essa reta final, e também à turma do POKER7, time que montei recentemente com meu amigo Marllon Pinto, também instrutor do time e que vem me ajudando a lapidar o jogo a cada dia. Não podia esquecer de agradecer também a toda turma do Royale Club, que sempre esteve a postos pra todas as solicitações e ligados em tudo.
Obrigado a todos vocês.

Ainda não tem conta no PPPokerClique no link e abra já a sua!

DÊ CALL NO SUPERPOKER!

Turbine seu jogo, receba conteúdos exclusivos,
análise de mãos, chamadas para aulas ao vivo e promoções gratuitas.